MENU

A fascinante arte de contar histórias

A fascinante arte de contar histórias

Atualizado: Segunda-feira, 13 Setembro de 2010 as 12:12

Uma das formas de motivar os pequenos a conhecer as escrituras é através da contação de histórias. Podemos disse que essa é uma técnica muito antiga; era a forma que os mais velhos tinham de passar seus conhecimentos ou orientar os mais novos. Os povo orientais são nossas referências na técnica, em especial o povo afegão com o famoso Nasrudim (vale a pena conhecer seus contos!).

Não existe muito segredo para contar histórias. Creio que muito de nós já fazemos uso dessa arte quando nos reunimos com a família para contar as histórias de nossos avós, bisavós e outros "causos". Mas é claro que toda técnica para aprimorar é sempre bem vinda!

Por esse motivo deixo aqui algumas dicas para aqueles que usam esse recurso na igreja:

1 - Estude o texto - nunca leia o texto apenas na hora de contá-lo ao público. O interessante é você lê-lo antes, analisá-lo ( onde a história aconteceu, quem eram os personagens, fatores culturais, o que essa história nos ensina, etc). Além do domínio do contexto também é importante estudar a forma de interpretar o texto (como posso deixá-lo mais interessante? o que devo destacar?). E, a dica mais importante: conte com as suas palavras. Assim, você chamará mais a atenção das pessoas.

2 - uso de recursos lúdicos - essa dica vale, em especial, quando se trabalha com crianças (especialmente as menores de 7 anos). Muitos usam fantoches, dedoches, dobraduras, avental de contação de história (tem vários a venda na internet), entre muitos outros. Mas confesso que o recurso que mais gosto é o uso de material do dia a dia. Por exemplo, um espanador pode virar um macaco; um leque um belo pavão, o garfo e a colher são o menino e a menina, e assim vai. As crianças ficam encantadas com esse tipo de recurso e nunca esquecem da história.

Outra dica é que você monte as suas histórias. E, para os que trabalho com evangelismo, em especial em capelanias, montar histórias que falam de Deus sem falar o nome de Deus. Parece complicado, mas não é!

Em ambientes como hospitais, escolas ou mesmo parques, somos proibidos de pregar religião. Mas nada te impede de contar as aventuras do menino Davi. Todos vão querer conhecer o bom pastor que cuida das suas ovelhas com amor, e vão se interessar pela história do menino que ouvia uma voz ( a voz que dizia chamar-se Capitão dos Exércitos). Você vai se surpreender com as histórias que montará!

Para os que pesquisam contos para crianças e jovens indico o Nasrudim e o livro "Lendas Judaicas" do escritor Ilan Brenman, além da coleção "contação de história de bolso" com histórias de vários países, inclusive do Brasil.

Fabricia Silva   é bacharel em publicidade e propaganda, arte-educadora e atriz cristã.

Contatos Msn:   [email protected]

veja também