MENU

Deus como exemplo de paternidade

Deus como exemplo de paternidade

Atualizado: Quinta-feira, 2 Setembro de 2010 as 5:37

Os povos falavam de Deus como o Deus dos Patriarcas, Criador, Sustentador, Juiz, Senhor e outros títulos semelhantes a esses. Tal conhecimento gerava temor, respeito, submissão, invocação, adoração, enfim, atitudes de reverência e dependência por parte do homem, mas não criava proximidade entre a criatura e o Criador. Poucas pessoas tinham relacionamento de comunhão com Deus. A experiência do pecado, com suas consequências, levou a humanidade a sentir-se tão separada de Deus e tão indigna de comungar com Ele, que a ideia de intimidade deixou de existir. Israel expressa esse sentimento quando pede a Moisés: “Fala-nos tu, e te ouviremos; porém não fale Deus conosco, para que não morramos” (Êx 20:19). Isso pode ser uma pintura da relação que existe entre alguns filhos com seus pais, em nossos dias.

A história Bíblica revela que, de modo progressivo, o Senhor Deus vai se revelando como Alguém que é mais do que tudo o que eles sabiam; Ele é Pai e quer ser conhecido como tal. O ponto mais alto dessa revelação foi mostrado por Jesus quando nos ensinou a orar dizendo: “Pai nosso, que estás nos céus...” (Mt 9). Israel estava acostumado a invocar o “Deus de Abraão, de Isaque e de Jacó”. João lhes ensina dizendo que “a todos quantos O receberam, deu-lhes o poder de serem feitos filhos de Deus” (Jo 1:12). Em I João 3.1 o mesmo apóstolo se regozija dizendo “Vede que grande amor nos tem concedido o Pai, a ponto de sermos chamados filhos de Deus...”. Você pode imaginar o que acontece nos lares onde os pais oferecem esse tipo de amor aos filhos?

Como Pai, Deus tomou a iniciativa de aproximar-Se dos seus filhos, ainda que Lhe tivéssemos virado as costas. Deixou o Seu trono, abriu mão de Sua glória, vestiu a nossa humanidade, venceu todos os males e pecados em nosso lugar e em favor de cada um de nós. O Deus Pai promove a nossa reconciliação com Ele por meio do perdão dos nossos pecados, do lavar regenerador do Espírito Santo e de Sua morada em nosso coração. Sua Palavra para nós é de paz, alegria, consolo, edificação, esperança e segurança. O nosso Pai Celestial nos dá todas as garantias de que precisamos para viver bem quando diz: “Nunca te deixarei, jamais te desampararei”, ou: “Acaso pode uma mulher esquecer-se do filho que ainda mama, de sorte que não se compadeça do filho do seu ventre? Mas, ainda que esta viesse a se esquecer dele, eu, todavia, não me esquecerei de ti” (Is 49:15).

Pensando nas coisas acima, cada pai deve ouvir o apelo do Espírito Santo: “Sede, pois, imitadores de Deus, como filhos amados” (Ef 5:1). Deus, o nosso Pai Celestial, é o exemplo que devemos seguir. De todas as decisões a serem tomadas, nenhuma será mais sábia do que a de imitarmos a Deus no contexto da nossa família. Quem praticar, verá.

Pastor Jonas Neves

Jonas Neves   nasceu em Rolândia - PR, em 07 de outubro de 1953. Nascido em lar evangélico, entregou sua vida a Cristo aos sete anos de idade. Em 1973 foi para Belo Horizonte, onde, em 1977 graduou-se bacharel em Teologia pelo STEB-FATEBAN - Faculdade Teológica Batista Nacional. Por cinco anos foi seminarista da Igreja Batista da Lagoinha e dentre outras realizações fundou a Igreja Batista Getsêmani de Belo Horizonte - MG, a qual pastoreou por 4 anos.

Depois disso aceitou o convite da Igreja Batista da Lagoinha, Belo Horizonte - MG, e esta serviu por 15 anos como pastor. No Final de 1999 o Pr. Jonas Neves de Souza assumiu o pastorado da Igreja Batista do Povo, São Paulo - SP. É casado com Solange e tem cinco filhos: Aline, Ádila, Anny, Iva e Alisson. Tem cinco netos.

Em 1981 a Convenção Batista Nacional, CBN, o elegeu Secretario Executivo da Aliança Batista Missionária da Amazônia. Transferiu-se para Belém - PA com toda sua família. Até 1985 exerceu um ministério com muito sucesso. Estabeleceu igrejas, assentou missionários, implantou a estrutura da CBN, desde Rondônia até Piauí.

veja também