MENU

Por que as pessoas se casam?

Por que as pessoas se casam?

Atualizado: Segunda-feira, 19 Julho de 2010 as 4:53

Segundo Carlos Alberto Bezerra, as pessoas casam-se, trabalham, esforçam-se, adquirem coisas, tem filhos, porém não sabem a razão principal pela qual estão fazendo isso. ''Se perguntarmos a maioria dos casais de noivos, próximos ao casamento o porquê de se casarem, eles não encontrariam uma resposta correta e clara para nos oferecer. Costumam planejar muitos detalhes como o vestido, a festa, a viagem, os móveis, os convidados, porém jamais se perguntam 'Por que vamos nos casar? '...Tudo isso é necessário, mas ainda está muito longe do propósito central do casamento''.

Para Bezerra, a falta de um propósito claro do que é um casamento faz com que nos desviemos para  objetivos equivocados e façamos dos meios um fim. ''O progresso material tem se constituído no objetivo principal de muitas famílias. Ele levanta três objetivos que tiram o casal do foco do verdadeiro propósito do casamento. Primeiro, a grande meta é o conforto e a realização material. As pessoas gastam a vida trabalhando para alcançar o desejado, e então seguem trabalhando para manter o alcançado. Sempre estão pensando em uma nova conquista, e sacrificam tudo, até mesmo a própria família. Fazem do meio um fim (Lucas 12:15)''.

Para Bezerra, em segundo lugar, a gratificação pessoal e egoísta tem sido outro objetivo errado para o casamento, segundo ele existem pessoas que se casam pensando apenas em si mesmas. ''O objetivo não é dar, mas receber não é servir mas ser servido''. Ou seja um relacionamento utilitarista.

Bezerra também levanta a deificação da própria família como o terceiro objetivo equivocado. ''A própria felicidade e convivência se convertem na meta mais alta da vida familiar, ainda que inconscientemente considerando Deus como um excelente meio para o bem estar da família''.

O que se observa é que a maioria das pessoas tomam a decisão de se casar com expectativas irreais, e se frustram por não entenderem o verdadeiro propósito do casamento

Vinicius é um jovem que se casou com Anie, ambos cristãos. Após alguns atendimentos percebi o quanto estavam decepcionados com a escolha feita há 10 anos. Segundo Vinicius, a sua motivação foi de se casar com Anie porque ela tinha fama de ''endireitar'' a vida dos ex namorados e, agora, depois de anos, ele confessa a sua decepção. Ele está muito infeliz porque a missão que ele dera a Anie (ainda que implicitamente), ela não cumprira bem segundo ele. Anie por sua vez assustada com a revelação de Vinicius, se dá conta de que a idéia de se casar era muito boa pois Vinicius lhe prometera fazer feliz, Anie vinha de um lar em que seus pais se separaram quando ela ainda era pequena, Vinicius lhe prometera sempre estar ao seu lado, nunca lhe abandonar.

Na busca por um casamento bem sucedido, a crença de ''casamos para sermos felizes e fazer o outro feliz'' ainda é muito grande, isto devido a grande influencia que temos de varias lentes. Quando passamos a enxergar o casamento através das lentes da mídia, das fabulas, cultura ou de modelos que muitas vezes não são referenciais de um casamento que cumpra o seu propósito, surgem as distorções, crenças que vão norteando todo o comportamento do casal.

As próprias mensagens de lideres e conselheiros frequentemente delegam aos futuros cônjuges ''Façam um ao outro feliz''.

Uma das alertas que fazemos aos noivos é que: Casamento não é remédio que leva à felicidade, cura de solidão ou soluções para problemas! Se casamento fosse remédio para solidão, não haveria casado solitário.

Quando o casal casa com esta expectativa, geralmente surge o desconforto, mais adiante: cresce uma sensação de insatisfação, devido achar que o outro é responsável por sua felicidade, sendo a fonte de sua satisfação.

Mais uma vez vem o reforço da necessidade de um trabalho preventivo, pois na escolha do cônjuge, quanto mais uma pessoa entender que não é o casamento que garante harmonia e felicidade constante,  menos expectativas irreais ela terá em relação ao casamento.

No primeiro módulo do curso de noivos que ministramos, temos como objetivo conversar sobre o que é casar, desmistificando muitas crenças, e alertando que cada futuro cônjuge não deve esperar que o outro seja responsável por sua felicidade. Esta felicidade deve ser fruto de uma realização pessoal em Deus que agora irá se fortalecer enquanto casal.

Biblicamente, quando Deus uniu o homem e a mulher, não foi por um acaso e sim por objetivos muito claros: Segundo Lucas Guimarães, o homem não estava procurando um casamento; foi Deus quem procurou um casal (Gn 2:20)

Portando vemos o primeiro propósito do casamento:

1-  Que homem e mulher fossem obra de um Deus criativo

Segundo John Stott, o clímax da criatividade criativa de Deus foi o aparecimento dos seres humanos. Para Carlos MacCord, tudo começa na imagem de Deus, no capitulo 1 Deus criando o universo. Encontramos este Deus em união, Pai, Filho e Espírito Santo,  tomando decisões juntos em perfeita harmonia, e no sexto dia ele diz que tudo está tudo muito bom, mas que a sua criação não estava completa, criando assim o homem e a mulher.

Para Bezerra, ''na criação da mulher Deus não estava somente oferecendo ao homem uma companheira, mas uma auxiliadora idônea para que neles e através deles pudesse realizar seu plano e propósito''.

Sua obra é belíssima, e desde a criação ele faz uma a uma de maneira singular. Somente o artesão Divino, para ter tanta criatividade e não repetir nenhuma de suas obras.

2-  Que homem e mulher refletissem a imagem de Deus (Gn. 1.26)  

Para Carlos MacCord em Gn. 1:26 a declaração ''Façamos o homem a nossa imagem, conforme a nossa semelhança''...  mostra que Deus criou o homem e a mulher para revelar a sua imagem no mundo, preparando um ambiente de satisfação para receber este casal, para revelar a sua imagem Ele Deus, age diariamente tomando decisões e ao final olha e diz que é muito bom. è muito importante entender as intenções de Deus,  Deus criou este mundo para revelar a sua gloria, para mostrar as coisas invisíveis que Deus quer revelar aquilo que Ele é visivelmente. No sexto dia ele cria um casal, homem e mulher, para revelar as características de sua personalidade que só um ser humano pode revelar, como amor, o perdão, a paciência...

Deus é fonte das fontes, tudo o que acontece de bom vem de Deus, porque ele é fonte das satisfações. A bíblia começa num jardim: coisas visíveis, para comer, ouvir, sensações físicas, emocionais, espirituais Deus é fonte de todas elas, è Deus que sustenta tudo funcionando.

E é Ele que sustenta as satisfações diariamente. Até este momento, o universo funciona e produz fruto, porque Deus está sustentando tudo isso através do seus amor colocando a satisfações  ao alcance a todos.

''Nós fomos criados a sua imagem e semelhança dEle, O ser humano foi criado para manter um ambiente de satisfação de amor, alegria, de paciência. Fomos criados para manter visível e acessível a imagem de Deus no mundo. Muitas pessoas entram no casamento para ser feliz, isso é um erro, A razão principal de um casamento não é de ser feliz a razão principal é de um casamento é amar, disponibilizando a satisfações de Deus colocando as ao alcance de todos revelando a imagem de Deus''. MacCord acrescenta ainda que Deus quer que sua imagem continue visível e disponível neste mundo e ele vai abençoar a todo o casal que queira revelar esta imagem através de seu casamento.

3. Que homem e mulher reproduzissem descendentes segundo a imagem de seus pais  (discípulos) (Gen 1.26)

Para MacCord a razão do casamento é que ''amar glorifica a Deus tornando a natureza de Deus visível e disponível''.

Pessoas que são criadas em ambientes hostil, geralmente não tem um referencial de um relacionamento que cumpra este propósito.

MacCord conta que seu pai era um homem bom, mas a bebida invadiu a alma dele e destruiu sua vida. Quando estava com 16 anos, MacCord estava frequentando uma igreja e foi convidado a ir para a casa de um pastor voluntário de jovens. Ao entrar no lar deste homem ele viu a imagem de Deus, porque ele viu amor, compreensão, paz.

A razão do casamento não é ser feliz, a razão do casamento é manter vivo neste mundo um ambiente onde a imagem de Deus pode ser revelado.

Para MacCord, o casamento não tem um fim em si mesmo, mas tem um fim muito mais nobre que é o de glorificar a Deus, fazer um Deus invisível aparecer visivelmente no seu lar. E quando um casal entende este desafio conectam a fonte das fontes que é Deus e como resultado desta conexão conseguem colocar a disposição de outros

''Estamos neste mundo para revelarmos os atributos invisíveis de Deus de criarmos ambientes onde a imagem de Deus pode aparecer e ser acessível, onde as pessoas possam ter diariamente encontrar as satisfação de Deus''

Além do mais, quando um casal se propõe a refletir a imagem de Deus e glorificá-lo, reproduzem filhos piedosos.

4. Que homem e mulher fossem líderes criativos (Gn 1. 28b)

Para John Stott,  ''Os cristãos deveriam estar na vanguarda do movimento pela conservação do planeta... fomos chamados pra cuidar da criação e não explorá-la''.

Infelizmente o ser humano desde o inicio não entendeu este mandato, e tem tido uma relação de exploração, basta ver a situação em que se encontra o nosso planeta.

MacCord deixa claro a importância desta liderança criativa quando diz: ''Subjuguem a terra, crie ambiente de satisfação, é preciso trabalhar para  isso acontecer, o trabalho de Adão e Eva era de ampliar as satisfações de Deus, dedique seu lar, diga a Deus que amplie a alegria neste lar, acolhendo vidas''.

Leonora Temple de Almeida Ciribelli   é formada em psicologia pela Universidade de Fortaleza, integrante do corpo docente da área de Terapia Familiar na Eirene do Brasil e professora do Curso de Noivos da Igreja Presbiteriana de São Vicente (SP), junto ao seu marido, Rev. Fábio Ferraz Ciribelli.

veja também