MENU

Saindo das dívidas de acordo com a economia de Deus

Saindo das dívidas de acordo com a economia de Deus

Atualizado: Sexta-feira, 4 Novembro de 2011 as 10:52

Precisamos entender a dívida e como sermos bons mordomos dos recursos que Deus nos dá.

Sabemos da importância de trazer nossos dízimos e ofertas ao Senhor.

Também de possuirmos um plano de gastos. Uma maneira de viver com o que Deus nos deu, seguindo o plano de Deus e ao mesmo tempo tendo em mente o cuidado de nossa família.

Mas há algo que impede a grande maioria dos cristãos no mundo de seguir o plano de Deus para suas vidas. . . e é ter muitas dívidas.

Li certa vez sobre um pastor que foi na Turquia. Enquanto esteve lá, notou que tinha casas que estavam em diferentes etapas de construção por todas as partes das cidades. Parecia que alguém as tinha começado e as tinha deixado pela metade da construção e abandonado. O pastor perguntou ao missionário o que tinha acontecido com aquelas casas. O missionário explicou-lhe que o Alcorão admoesta os seguidores para não contrair dívidas ou pegar empréstimos. Como o governo local era muçulmano, eles possuíam leis muito severas quanto aos empréstimos. De maneira que os mulçumanos poupavam o dinheiro até que pudessem construir. Quando acabavam as poupanças, paravam a construção e voltavam a trabalhar até que poupassem o suficiente dinheiro para continuar.

Imagine se nós tomássemos nossas advertências bíblicas sobre a dívida tão seriamente. . .

Ao invés, temos o que chamamos de “direito de possuir tudo”. Só que cada dia que passa este direito se transforma em pesadelo. “Compre agora e pague depois. . .90 dias”. Gastamos um dinheiro que não temos para comprar. Para poder pagar estas coisas, temos que trabalhar mais horas. Sacrificamos o tempo que possuímos. Deixamos nossas famílias, igrejas e comunidades com menos do que eles merecem. Tudo para impressionar as pessoas que realmente nem se importam conosco.

A dívida é um problema no mundo. Apesar das leis mudarem, 1.8 milhões de pessoas declararam quebra em 2005. Em janeiro de 2006, nos Estados Unidos, lares gastaram mais de seus rendimentos em $575. Quase uma em cada 5 pessoas somente conseguiu fazer o pagamento mensal mínimo de seus cartões de crédito. Isto significa que 40% das famílias norte-americanas gastaram mais dinheiro do que ganharam mensalmente.

veja também