MENU

O velho ou o novo de Deus?

O velho ou o novo de Deus?

Atualizado: Terça-feira, 31 Agosto de 2010 as 8:29

O que é já foi, e o que há de ser também já foi; Deus fará renovar-se o que se passou. Eclesiastes 3:15

Para você, o que é o “Novo de Deus”? De onde você imagina que surgiu este título e com que finalidade? E se existe um “Novo”, é porque também existiu um “Velho”, ou antigo, como queiram. Mas o velho... Extinguiu-se? Tornou-se, com o passar do tempo, demasiadamente obsoleto ao ponto de ter que ser trocado por um novo?

Prega-se, profetiza-se e canta-se nos púlpitos também sobre uma “Nova Unção”, que, acredito, seja ministrada pelo fato de que a unção que Deus derrama em nossa vida tenha “prazo de validade”, ou também saia de moda, tornando-se, assim, algo também ligado ao “Velho de Deus”. Na verdade, este termo e esta prática já há tempos vinham sendo utilizados, desde os dias de Kathryn Kuhlman e Benny Hinn, que sempre afirmam terem recebido algo extraordinário e novo. Vejam o que a Bíblia diz:

E a unção, que vós recebestes Dele, fica em vós, e não tendes necessidade de que alguém vos ensine; mas, como a Sua unção vos ensina todas as coisas, e é verdadeira, e não é mentira, como ela vos ensinou, assim Nele permanecereis. 1João 2:27

Ao deixarmos nos envolver e influenciar, consciente ou inconscientemente, por falta de conhecimento ou não, por estas colocações que concluo, brotam de mentes anátemas e hereges, assinamos um atestado de que o nosso Deus faz as coisas incompletas e falíveis, nos deixando à vontade para acreditarmos que tudo na Bíblia é mentira e estamos servindo a um Deus mutável, adaptável e sem o mínimo de compromisso e amor a nós. Você acha que Deus é assim?

Já cheguei a ouvir pessoas que, em nome de “Novos Moveres”, jogaram no lixo sua história verdadeira e sincera de conversão e confissão de fé, de seu batismo e vários milagres vividos, para aderirem às novas doutrinas de homens que, sempre em favor do “novo”, taxam os fundamentos Bíblicos de antigos, arcaicos, como coisa do passado, sem muita valia para os dias de hoje.

Viver neste novo é fácil. No “Novo”, Deus tem que continuar tendo compromisso conosco, mas não necessariamente nós com Ele. As canções entoadas falam mais das bênçãos, deixando a renúncia do eu e o carregar da própria cruz ficarem em segundo ou nenhum plano. Está aí, na nossa frente, neste momento atual da igreja, o abuso de vários líderes que impõem como verdade uma distorção perigosa de fraseologias bíblicas, somadas a jargões carismáticos, levando vários a caminharem em caminhos que não são os que conduzem à verdadeira vontade de Deus. E então o povo sofre por ficar dividido, por não conseguir atingir metas tão confusas, tão distantes do modo de vida que Deus propõe a nós.

Está aí (...) o abuso de vários líderes que impõem como verdade uma distorção perigosa de fraseologias bíblicas

Não existe, na minha concepção, e biblicamente falando, “O Novo” e “O Velho”, não há base espiritual para uma “Nova Unção” e “Velha Unção”, “Novo Mover” nem “O Novo de Deus”. Só existe uma unção, um só Deus que Foi, É e sempre Será Deus. Salomão diz:

O que foi é o que há de ser; e o que se fez, isso se tornará a fazer; nada há, pois, novo debaixo do sol. Eclesiastes 1:9

Em nome de se tornarem diferentes e destacados, para alcançar o foco dos holofotes e serem únicos no meio de tantos, muitos inventam e reinventam. Se for para ser assim, prefiro viver o “Velho”.

Por estas e outras, quero, em amor, encorajar e estimular a você que continue, firme, nem para o novo nem para o velho, mas para o certo, para a verdade, para o que é puro, amável e contra o pecado que tenazmente nos acedia. Que prossigamos em conhecer na Palavra o Deus da Palavra, tendo com Ele intensa intimidade até o ponto de entender completamente e nitidamente qual seja a boa, perfeita e agradável vontade Dele sobre as nossas vidas.

Vamos juntos.

Em Cristo,

Pr. Marcos Góes

Marcos Góes   é pastor, cantor, compositor e capelão da United Chaplains State of New York. Já viajou por todos os estados do Brasil, além de Estados Unidos e Europa. Prega o evangelho, ministra o louvor e é conferencista em congressos de adoração.   

veja também