10 dicas divertidas para as crianças, e você! comerem bem

10 dicas divertidas para as crianças, e você! comerem bem

Atualizado: Quinta-feira, 2 Junho de 2011 as 10:22

Esqueça, por um instante, os manuais de nutrição. Eles são importantes, claro. Mas, às vezes, conselhos simples como os que o ensaísta norte-americano Michael Pollan dá em seu novo livro “Food Rules: An Eater’s Manual” (que literalmente significa Regras da Comida, mas o trocadilho pode ser traduzido como “Comer é Bom Demais: Manual do Comedor) servem para lembrar o quanto é fácil se alimentar direito. Para chegar a essa conclusão, o autor, que também escreveu o best-seller “Em Defesa da Comida” (Editora Intrínseca), entrevistou nutricionistas, antropólogos, especialistas em folclore, médicos, enfermeiras e também mães e avós. O resultado é uma lista bem-humorada, fácil de seguir e de se identificar. A seguir, um petisco.

1. Coma quando está com fome e não quando está chateado. A maioria das vezes comemos por outros motivos, como tédio, diversão ou recompensa. O que, obviamente, pode levar a exageros.

2. Fique longe dos cereais matinais que mudam a cor do seu leite. A razão é simples: são repletos de carboidratos refinados e outras substâncias químicas, como corantes, por exemplo.

3. Evite alimentos que a sua avó não reconheceria. A maioria dos alimentos industrializados, que não existiam anos atrás, é repleta de aditivos que nos induzem a comer mais sal, açúcar e gordura do que precisamos.

4. Faça um prato colorido. As cores dos alimentos estão relacionadas com os nutrientes que eles contêm. Cada um deles, por sua vez, protege o organismo contra algo diferente. Por isso, quanto mais variadas, melhor.

5. O alimento tem muitos ingredientes no rótulo? Deixe na gôndola. Pelo simples motivo de que ele é industrializado demais. O mesmo não vale para a sua receita preferida, claro.

6. Coma alimentos pré-digeridos. Ou seja, aqueles que já tiveram contato com fungos e bactérias, como iogurtes e molho de soja, por exemplo.

7. Prefira as comidas que um dia vão apodrecer. Isso porque quanto mais processado o alimento, mais longa é a data de validade e menos nutrientes ele contém.

8. Se o nome é o mesmo em diversas línguas, não é comida de verdade. Como exemplos, o autor cita Big Mac e Pringles...

9. Coma apenas alimentos preparados por humanos. Alimentos produzidos em escala industrial, em geral, têm sal, gordura e açúcar demais. Isso sem falar nos conservantes e outros aditivos.

10. Deixe as regras de lado vez ou outra. Ficar obcecado com tudo o que a sua família come, para o autor, deixa a todos menos felizes. O que, por consequência, faz mal à saúde.    

veja também