28 de maio: Dia da Saúde da Mulher

28 de maio: Dia da Saúde da Mulher

Atualizado: Quarta-feira, 7 Maio de 2008 as 12

Neste 28 de maio, Dia Internacional de Luta pela Saúde da Mulher e Dia Nacional de Redução da Mortalidade Materna, vale a pena reforçar: não há idade limite para começar a fazer exames preventivos. Caso a mulher fume, esteja acima do peso, tenha antecedentes familiares e seja sedentária, ela deve iniciar uma rotina de exames a partir dos 30 anos, com acompanhamento médico. Se os resultados estiverem dentro de índices normais, os exames devem ser repetidos a cada dois anos e, se alterados, semestralmente ou a critério do especialista.

Caso não tenha antecedentes ou fatores de risco, os exames devem ser iniciados, no máximo, aos 40 anos de idade e repetidos também a cada ano. "Se a paciente já é portadora de doenças como hipertensão arterial e diabetes, a rotina de exames deve ser mais complexa e definida caso a caso, até de acordo com a medicação utilizada", afirma Dra. Lide Bocchino, cardiologista do Lavoisier Medicina Diagnóstica/ DASA.

Para a identificação e prevenção de doenças, existem exames importantes que as mulheres devem realizar de rotina, como os ginecológicos. Entre eles estão mamografia, ultrassom pélvico e, eventualmente, o transvaginal, ultrassom de mamas, dosagem de hormônios (de acordo com a idade e do ciclo de vida) e o exame ginecológico propriamente dito, feito no consultório do especialista.

Além desses, as mulheres devem se submeter aos exames laboratoriais, (idênticos aos realizados pelos homens). Entre eles, podemos citar análise completa de urina, fezes e de sangue para verificar índices de lípides (como colesterol e suas frações, triglicérides), glicemia (para diagnóstico de diabetes), contagem de plaquetas, creatinina, uréia e eletrólitos (cálcio , potássio , magnésio e sódio) e radiografia de tórax.

Devem fazer parte dessa avaliação geral, também, exames como eletrocardiograma, teste de esforço e ecodoplercardiograma em cores, principalmente em mulheres em início de menopausa ou já menopausadas, pois estão mais propícias ao desenvolvimento de cardiopatias, entre outras patologias como diabetes e alterações hormonais. "Os resultados desses exames devem ser analisados por especialistas que acompanham a paciente e que, conforme os resultados, continuam com avaliações e exames mais específicos", comenta Dra. Lide.

Como, então, diferenciar o que é preventivo do que é check-up? Os exames preventivos são específicos para determinadas doenças como, por exemplo, os preventivos de câncer ginecológico (mama, útero e ovários) ou o preventivo cardiológico, que abrange somente os exames ligados à saúde do coração. "Já o check-up é um conjunto de ações mais abrangentes, multidisciplinares, que envolvem o diagnóstico, orientação e também a prevenção de doenças. Abrange os ditos preventivos, sendo uma avaliação mais completa de saúde", completa a cardiologista.

veja também