A árdua tarefa de educar os filhos

A árdua tarefa de educar os filhos

Atualizado: Segunda-feira, 9 Março de 2009 as 12

Liberdade é uma das palavras mais difíceis de serem explicadas, sobretudo para crianças e adolescentes. Quando bem entendida, é benéfica, pois pode envolver a aquisição de novas responsabilidades por parte dos mais jovens e o aprendizado de normas sobre respeito.

O renomado pedagogo alemão Bernhard Bueb dedicou toda sua vida profissional à educação. Ele afirma que "a liberdade não é nenhum estado, nenhuma condição, mas o resultado obtido após etapas de superação pessoal e de transformação da disciplina em autodisciplina".

As sociedades se dividem sobre como dar uma boa educação aos filhos. Os ambientes mais conservadores e os mais liberais possuem grandes divergências em conceitos básicos.

Perdendo autoridade

Bueb argumenta que um dos problemas na educação é a insegurança que os pais sentem na hora de estabelecer uma linha de conduta. "Se eles perderem a autoridade, ficará fácil para os filhos ultrapassar os limites".

O especialista avalia que a educação é um caminho cheio de percalços e contradições, onde família, professores e educadores buscam propiciar justiça, disciplina, amor e confiança.

Recomenda que, apesar das dúvidas que possam vir a pairar sobre a cabeça dos pais, estes se mantenham firmes naquilo que decidiram.

A coerência como virtude

Bueb revela uma virtude decisiva para todos aqueles que pretendem se tornar grandes educadores: a coerência. Caso esta não seja mantida, a criança terá sua infância prejudicada.

Na hora de impor sua própria vontade, crianças e adolescentes sempre testarão o limite da paciência de pais e educadores.

Os menores captam de maneira rápida e determinante qualquer tipo de critério que antes era claro e que com o tempo foi sendo diluído. Por isso, aqueles que educam devem se manter firmes em seus critérios de formação.

A experiência de Bueb no campo da educação serviu para que ele determinasse que os jovens, apesar de desejarem grande liberdade, também buscam autoridade, disciplina como exemplo de atenção.

"É uma maneira de buscar orientação e apoio para fixar objetivos. A oposição à autoridade leva à autonomia", garante.

"A coerência requer tempo", admite o pedagogo alemão. "A tranqüilidade é fundamental na hora de atender a uma criança e suas necessidades. Se eles perceberem que seus pais têm pressa, os mais velhos perderão o jogo", completa.

"Comer de forma apressada impede o ensino de bons gestos. A situação atual de emergência vivida pela educação também é resultado de falta de tempo", acrescenta Bueb.

veja também