A gestão de pequenos conflitos

A gestão de pequenos conflitos

Atualizado: Sexta-feira, 20 Maio de 2011 as 10:26

Também em ambiente profissional as situações de conflito são muito frequentes. As causas mais comuns são o temperamento de cada pessoa, o ritmo mais rápido ou mais lento de trabalho de uns ou outros, a sobrecarga de trabalho, falta de organização, má gestão do tempo e a comunicação deficiente, entre outras.“A administração de conflitos no trabalho tem uma característica muito interessante: não é ensinada na escola. No entanto, esta é uma habilidade básica que pode ser importantíssima para a sobrevivência profissional e tem que ser amplamente praticada”, diz o consultor de RH Arnaldo Nascimento.   Para ele, os conflitos no trabalho ocorrem quando uma pessoa está sujeita a algum tipo de pressão, ou com expectativas elevadas a respeito de um projeto, ainda quando há um choque de personalidades. “Para pôr fim a conflitos é necessário ter uma forte capacidade de negociar, de discutir a natureza do problema e não dos sentimentos envolvidos”, continua ele.   O consultor diz ainda que é bom haver, eventualmente, algum tipo de conflito, “pois propiciam também inovação, melhoria, vantagem competitiva e o debate de idéias”.“Eliminar por completo os conflitos não deve ser o objetivo do administrador, e acredito que saber lidar com conflitos é algo que deveria fazer parte do currículo de qualquer profissional”, diz ele, continuando: “Todo profissional deve desenvolver a sua capacidade de entender a natureza dos conflitos e rapidamente estabelecer uma estratégia de solução, de maneira a que não haja ressentimento de nenhuma das partes envolvidas, nenhuma sensação de derrota e muito menos um ambiente de trabalho ruim para qualquer das partes”.   Arnaldo afirma ainda que a capacidade de manejar situações de conflito é essencial para as pessoas e as organizações e que isso é como uma “fonte geradora de mudanças, pois das tensões conflitantes, dos diferentes interesses das partes envolvidas é que nascem oportunidades de crescimento mútuo”, diz.   “Inúmeros fatores podem influenciar o surgimento do conflito, e isso não está restrito às questões relacionadas ao trabalho ou à estrutura organizacional. Os conflitos mais comuns vêm das diferenças individuais, dos diversos níveis de competência interpessoal, das diferentes visões de mundo, mas não importa qual o fato gerador, o ideal é que o administrador saiba como resolver isso”, conclui ele. Sugestões :Manter a calma, falar em tom de voz adequado (sem gritar);Expressar-se com clareza e correção (sem insultos nem linguagem imprópria) e atentar à linguagem gestual;   Constatar os fatos;   Dialogar com os envolvidos;Analisar as causas, não atribuindo culpas;Procurar uma solução satisfatória e consensual;Concluir obtendo o compromisso de todas as partes envolvidas.    

veja também