A polêmica das cirurgias plásticas

A polêmica das cirurgias plásticas

Atualizado: Segunda-feira, 10 Janeiro de 2011 as 2:18

A febre do momento entre as grávidas americanas é o Mommy Makeover – um pacote de cirurgias plásticas voltado especificamente para as mulheres que acabaram de dar à luz. Os médicos que defendem a prática alegam a necessidade desses recursos para que as novas mães consigam voltar a sua forma pré-gravidez.

Para o cirurgião plástico Gustavo Merheb, o Mommy Makeover é obra de um bom publicitário. “O pacote é somente mais uma jogada de marketing: uma forma diferente de falar sobre uma coisa que já se faz. Mas, neste caso, não vejo nada de errado, porque todas as ações são feitas seguindo as recomendações médicas”, comenta.

Quanto à necessidade dos procedimentos médicos para que a grávida possa voltar a sua forma anterior, o especialista faz algumas ressalvas. “Para saber se existe essa condição, alguns quesitos devem ser avaliados: se é o primeiro filho da mulher, se ela ganhou muito peso na gestação, se nasceram gêmeos, se as mamas cresceram muito e se muitas estrias apareceram”, explica.

Gustavo ainda ressalta que no pós-parto, mesmo que a mulher recupere a sua forma, a cintura quase nunca volta aos números originais, e nos casos mais sérios a área fica com aspecto de início de gestação. “Uma coisa é recuperar a forma física, o peso ideal, outra é ficar com o mesmo shape (formato do corpo)!”, admite.

Para se submeter a um procedimento médico, no entanto, é preciso que a grávida espere seis meses após a última vez que amamentou o bebê. Esse período é importante para que hemograma volte aos parâmetros normais – toda grávida desenvolve algum grau de anemia -, e para que os hormônios da gravidez parem de agir sobre pele, músculos e ossos.

Depois desse tempo, a mulher está apta a fazer plásticas, mas deve tomar os cuidados habituais no pós-operatório. “As orientações devem ser seguidas à risca. Os cuidados de uma mãe não diferem dos de outra paciente”, completa.

veja também