A relação mãe e bebê logo após o nascimento

A relação mãe e bebê logo após o nascimento

Atualizado: Quarta-feira, 10 Novembro de 2010 as 5:14

O bebê precisa de atenção

O nascimento é uma experiência forte para a mãe e para o bebê. A relação entre mãe e filho precisa ser profunda, carinhosa e acolhedora, pois é através da mãe que a criança vai conhecer o mundo lhe cerca.

O bebê se defronta com um mundo desconhecido, repleto de estímulos, sensações muitas vezes desagradáveis e tem poucos recursos para se comunicar ou se livrar deles sozinho. Sua única forma de comunicação é o choro, que depende de uma mãe sensível e dedicada para decodificá-lo e dar-lhe sentido. O bebê tem uma necessidade vital de ser compreendido e precisa de uma mãe que corresponda a essa demanda.

Aspecto positivo da insegurança da mãe

A mãe, por sua vez, pode se sentir insegura e incapaz frente à grande e nova responsabilidade de cuidar de um bebê. Nas primeiras semanas após o nascimento é de se esperar uma convivência difícil e angustiante, pois ambos se veem desamparados diante da nova situação.

A insegurança da mãe, no entanto, tem seu aspecto positivo quando ajuda a identificar e estabelecer uma forma primitiva de comunicação que facilite a compreensão dos sentimentos do bebê expressos através do choro.

Preocupação materna primária

Para Winnicott, presidente da Sociedade Britânica de Psicanálise, é comum nos últimos meses de gravidez e logo após o parto a mãe desenvolver um estado emocional que se caracteriza por uma sensibilidade exacerbada, que a leva a ter uma sintonia melhor com o seu bebê, e desse modo, corresponder às necessidades físicas e emocionais dele. A esse estado deu o nome de preocupação materna primária.

Com a presença de uma mãe atenciosa o suficiente para perceber as angústias iniciais do filho e transformá-las em vivências positivas de acolhimento e bem-estar, o bebê começará a se desenvolver adequadamente e a constituir-se como pessoa, tornando-se uma criança e, posteriormente, um adulto capaz de enfrentar as dificuldades inerentes à vida.

Apoio dos familiares

Algumas mulheres, no entanto, são boas mães e cuidam com carinho da alimentação, da higiene e tudo relacionado ao bebê, mas sentem dificuldade para chegar ao estado de mente que lhes possibilitaria uma adaptação sensível e delicada às necessidades do bebê nos seus primeiros momentos de vida.

É muito importante que os familiares entendam o papel desempenhado pela mãe no primeiro ano de vida do bebê, para ajudá-la a manter e fortalecer seu vínculo com o filho.

veja também