A segunda lua de mel

A segunda lua de mel

Atualizado: Sexta-feira, 27 Maio de 2011 as 11:20

Toda mulher sonha com uma vida conjugal maravilhosa, com um marido romântico e sempre disposto a atender às suas necessidades sexuais e emocionais. Na maioria dos casamentos, isso só acontece nos primeiros anos de convivência porque, com o passar do tempo, homem e mulher começam a focar outros alvos como prioridade em suas vidas.

Uma coisa é certa: quem planta colhe, e colhe o que plantou. Em um solo fértil, não importa se quem jogou a semente foi um simples lavrador ou um engenheiro agrícola. Esse quesito é indiferente, pois a natureza obedece automaticamente: a semente vai germinar, crescer e dar frutos.

Com as questões de relacionamento, não é diferente. Existem muitos casais que ainda não conhecem a Palavra de Deus e Suas promessas para uma vida conjugal feliz; mas por plantarem o amor, desfrutam de um relacionamento abençoado.

A mulher não é cabeça dentro de um relacionamento, mas Deus deu-lhe nas mãos o poder de restaurar e edificar o lar, não nas do homem. "A mulher sábia edifica a sua casa, mas a insensata, com as próprias mãos, a derriba". (Provérbios 14:1)

A ela foi dada a sensibilidade de perceber quando as coisas não vão bem. Ninguém pode conhecer melhor um homem do que a sua própria mulher, pois a Palavra de Deus diz que, quando se unem, já não são contados como dois, mas como um só corpo.

Um esfriamento dentro do relacionamento conjugal é sempre algo muito sério. Quando uma esposa se comporta de maneira displicente diante de uma situação como essa, certamente terá problemas no futuro. Não se pode ignorar que as necessidades sexuais masculinas são bem maiores que as femininas. Se a esposa não assumir a sua posição de mulher de Deus no governo do seu casamento, satanás enviará quem faça. Não se trata de uma obrigação, Deus não quer a mulher como um objeto sexual do homem. Trata-se de cumplicidade no amor.

Restauração

Ainda que um casamento esteja em meio a sua pior crise, e que homem e mulher achem que não há mais amor nem motivos para permanecerem juntos, uma das maiores especialidades de Deus é a restauração da família. Ele levanta das cinzas relacionamentos que, aparentemente, estão acabados.

A comunicação entre cônjuges precisa ser sincera para que haja harmonia e a confiança se estabeleça na vida a dois. Esposas que fingem sentir algo que não sentem, dentro de uma relação sexual, para não ferir o ego masculino do marido, precisam aprender a amar de verdade. A mentira nunca gera um fruto bom. Essa esposa precisa entender que casais crescem juntos. Nem ela nem ele nasceram sabendo tudo, precisam ser sinceros um com o outro.

Quando um dos cônjuges percebe que está indo por um caminho errado, é hora de voltar e entrar no caminho certo. Nem sempre o processo é rápido. Às vezes é lento e trabalhoso, mas os resultados são magníficos.

Uma mulher que detecta uma falha conjugal dentro do seu relacionamento precisa entrar na presença de Deus com intrepidez e autoridade de filha; e aí, sim, pôr diante de Deus todas as suas inseguranças, incertezas e medos. Ela deve orar a Ele pedindo sabedoria e entendimento para conversar com seu marido.

Muitas mulheres cristãs oram, jejuam, mas na hora de conversar com o marido, falham. Deus não vai fazer a parte que pertence a ela. A esposa precisa sentar com o seu marido, olhar olho no olho, e ter uma conversa franca. Não podem existir barreiras nem obstáculos entre os dois. O casal precisa entrar unido na presença de Deus em oração e destronar satanás, não aceitando suas afrontas na vida conjugal.

Um casal cristão não pode esquecer que a relação sexual é uma das atitudes de maior louvor que homem e mulher podem doar a Deus. O prazer dos cônjuges é adoração a Ele. É por essa razão que Deus se interessa tanto em restaurar um casamento "aparentemente" falido.

veja também