A verdade sobre exercícios para gestantes

A verdade sobre exercícios para gestantes

Atualizado: Quarta-feira, 16 Julho de 2008 as 12

O dia a dia da gestante é cheio de cuidados e delicadeza, principalmente quando se trata de uma "marinheira de primeira viagem", o que gera diversas dúvidas sobre que tipo de atividades físicas as mulheres "em estado interessante" podem praticar. Diferentemente do que se pregava nos tempos idos, de nossas bisavós, os exercícios podem beneficiar, e muito, as gestantes, que, hoje, são um público presente nas academias desportivas. Mas nem tudo é permitido, por isso, orientação médica é fundamental.

De acordo com a professora de Educação Física, especializada em atividades aquáticas, Sueli Aparecida Silva, os exercícios físicos, em especial a natação, trazem diversos benefícios durante a gravidez: melhoram a circulação sangüínea, diminuem o edema, ajudam a não ganhar peso em excesso, diminuem cãibras (contrações involuntárias do tecido muscular) nas pernas, diminuem dores na coluna, fortalecem a musculatura, diminuem o risco de diabetes, facilitam o parto e a recuperação pós-parto, diminuem o risco de depressão pós-parto e diminuem o estresse, além de melhorarem a auto-estima e a auto-imagem da mulher.

Contudo, os exercícios que serão feitos durante a gravidez variam de acordo com o condicionamento físico da mulher e de sua prática de exercícios anterior. A mamãe que era sedentária antes da gravidez não deve adotar o ritmo de uma atleta.

Para as gestantes sedentárias, Sueli indica a prática de exercícios a partir do terceiro mês de gestação. Para as gestantes atletas ou que praticam atividade física regular e não possuem impedimentos médicos, a atividade física pode ser mantida desde o início da gravidez. Sueli enfatiza que, independentemente do condicionamento físico, a gestante só pode fazer atividade física com a liberação de seu médico.

A interrupção dos exercícios varia de gestante para gestante. Aquela que estiver em boas condições de saúde e não tiver dilatação grande pode fazer natação até o dia do parto. "Já acompanhei muitos casos de gestantes que fizeram aula de natação pela manhã e tiveram o bebê à noite", conta a profissional.

Sueli aponta que algumas doenças impedem a prática de exercícios, como problemas cardíacos, problemas circulatórios, embolia pulmonar, doenças infecciosas, hipertensão ou qualquer problema com a gestação que ofereça riscos a mãe ou ao bebê, como sangramentos ou dilatação do colo uterino.

A professora de Educação Física faz, ainda, uma ressalva: "Algumas atividades não são recomendadas para gestantes, como ginástica aeróbica, esporte de raquete, esqui, patins, ciclismo, principalmente pelo risco de quedas", diz.

"Com relação à musculação, existe muita controvérsia a respeito e poucas pesquisas conclusivas, por isso, não a recomendamos. Os riscos da prática são de lesão osteoarticular e diminuição do fluxo sanguíneo para placenta e, conseqüentemente, para o feto", explica Sueli.

Com a autorização do médico e a orientação de um profissional experiente, a futura mamãe pode estar certa de que a atividade física será agradável e segura.

veja também