Acampamento na sala imita dia de escoteiro

Acampamento na sala imita dia de escoteiro

Atualizado: Quinta-feira, 25 Fevereiro de 2010 as 12

Um bom escoteiro respeita os mais velhos e sabe se virar sozinho. Mas esta, se você perguntar às crianças, é a parte chata da brincadeira. Bacana mesmo é se infiltrar na floresta, esquentar a comida na fogueira e montar acampamento no meio do mato. Nos dias atuais, entretanto, nem sempre há oportunidade para fazer o ritual completo. Solução? Usar a criatividade e inventar formas de distrair a turma sem apelar aos recursos eletrônicos.

Numa dessas, a sala ou o quarto do seu filho podem se transformar numa floresta perigosa, escura e fria. Um lençol e um cobertor fazem as vezes de barraca: três cadeiras podem servem de armação e mantêm o abrigo em pé. As cortinas fechadas e as luzes apagadas dão o clima de mistério: uma lanterna aumenta o charme da brincadeira.

Folhas vermelhas e amarelas de papel celofane vão virar uma fogueira para assar a comida (biscoitinhos espalhados no fundo de uma panela, por exemplo). O ambiente fica ainda mais selvagem com uma garrafinha de água servindo de cantil e uma cesta de frutas, que acabam de ser achadas nas proximidades do acampamento.

"Quando meus sobrinhos vêm passar as férias na minha casa, a brincadeira de acampamento sempre faz sucesso. Meu marido e eu também participamos, junto dos meus três filhos. A gente se diverte tanto que mal vê o tempo passar", afirma a dona de casa Cristina da Silva.

Todo mundo se reúne em volta ou embaixo da barraca. Tem gente para imitar animais selvagens que querem invadir o acampamento e tem guarda para defender a segurança dos escoteiros. Com o andamento da brincadeira, as situações vão aparecendo e nunca os episódios se repetem. " Aproveitamos para falar sobre a importância de preservar a natureza, de jogar o lixo no lugar certo e não polir o meio ambiente", diz Cristina.

 Se a brincadeira começa de tarde, o difícil é cortar o clima para preparar o banho e o jantar. Cristina conta que, algumas vezes, a refeição precisou ser feita no meio do acampamento, porque ninguém conseguia interromper a fantasia criada embaixo da cabana. E quanto mais à vontade as crianças ficarem, maiores as chances de que o cenário faça sucesso. "Os adultos ajudam a criar uma idéia mais próxima da realidade e, dessa maneira, o envolvimento com as situações criadas tende a aumentar", afirma a psicanalista Camila Gomes. Ela apresenta a seguir alguns pontos que podem ser estimulados com esse tipo de brincadeira:

Entrosamento: crianças com dificuldade para lidar com os amiguinhos podem sentir mais confiança para se soltar quando há adultos por perto, supervisionando as atividades.

Criatividade: o ambiente simples fica mais divertido com o apoio da imaginação. O Ideal é que os adultos reajam às invenções das crianças, sem propor nada. "O papel dos adultos é elogiar as iniciativas das crianças e se entusiasmar com o clima", diz a especialista.

Paciência: o acampamento demora para ser montado. Todas as crianças precisam participar do processo.

Organização: quando a brincadeira acabar, todos os participantes devem colaborar com a arrumação da casa. Cabe aos adultos dividir as tarefas e pedir a colaboração das crianças.

veja também