Alguns motivos - a mais - para fazer sexo

Alguns motivos - a mais - para fazer sexo

Atualizado: Sexta-feira, 10 Dezembro de 2010 as 2:16

• Ajuda a diminuir os efeitos do estresse

Vai ser um dia difícil no trabalho (reuniões, apresentações e relatórios de lucro)? Fique um tempinho a mais na cama pela manhã com seu parceiro. Um estudo feito por Yvonne Ulrich-Lai e James Herman, da Universidade de Cincinnati, EUA, e publicado no National Academy of Sciences, demonstrou que o sexo inibe as respostas do cérebro à ansiedade e ajuda a combater os efeitos do estresse.

• Reduz as dores crônicas

Da próxima vez que você estiver com dor de cabeça, diga sim para o sexo. A liberação de endorfinas, corticosteroides e outros analgésicos naturais durante o ato sexual é a melhor maneira de combater as dores. Além disso, o relaxamento dos músculos também ajuda no controle da dor. A tolerância à dor pode dobrar, diz Barry Komisaruk, da Universidade de Rutgers, EUA.

• Melhora seu sistema imunológico

Uma pesquisa feita por Carl Charnetski, da Universidade de Wilkes, EUA, chegou à conclusão de que pessoas que faziam sexo de uma a duas vezes por semana tinham o nível de anticorpos 30% maior do que aquelas pessoas que eram abstinentes.

• Faz o coração se exercitar

O sexo é considerado, pelos cardiologistas, como um exercício aeróbio de intensidade baixa ou moderada, ou seja, o tipo de exercício perfeito para o coração da grande maioria das pessoas. Quanto mais “vigoroso” esse tipo de exercício, melhor – desde que você esteja preparado para isso – e o orgasmo pode elevar seu ritmo cardíaco a níveis similares aos observados em uma corrida leve.

• Pode proteger contra o câncer de próstata

Uma pesquisa feita pelo Conselho para o Câncer de Vitória, na Austrália, e liderada por Graham Giles, apontou que homens que ejaculam mais durante a vida podem ter um menor risco de desenvolver o câncer de próstata. Outro estudo americano, feito por Michael Leitzmann, do Instituto Americano de Câncer em Bethesda, chegou a conclusões similares.

• Mantém a saúde dos órgãos sexuais

Uma pesquisa feita por Sandra Leiblum, do Centro para Bem-Estar Sexual de Nova Jersey, EUA, mostrou que mulheres em idade pós-menopausa e que tinham vidas sexuais ativas eram dez vezes menos propensas a problemas relacionados com a atrofia urogenital, um problema comum nessa idade e que pode causar dores e outros sintomas.

• Pode proteger contra o câncer de mama

Um estudo publicado no periódico Breast Cancer Research and Treatment, e liderado por Timoty Murrel, da Universidade de Adelaide, na Austrália, foi um dos primeiros a levantar a hipótese de que a ocitocina (o hormônio do amor) liberado durante o ato sexual poderia proteger as mulheres contra o câncer de mama. Outro estudo, feito por Eleni Petridou da Universidade de Atenas, na Grécia, e publicado no British Journal of Cancer, chegou a conclusões similares no caso do câncer de mama masculino.

veja também