Alto nível educacional demonstra maior probabilidade de se casar

Alto nível educacional demonstra maior probabilidade de se casar

Fonte: Atualizado: sábado, 29 de março de 2014 03:26

O Centro Nacional de Estatísticas de Saúde dos Estados Unidos publicou este mês uma nova análise de dados sobre casamento e coabitação concentrada em relacionamentos no contexto da maternidade.

Usando uma amostra representativa do país, limitada a homens e mulheres de 15 a 44 anos, pesquisadores coletaram dados sobre experiências anteriores com casamento e coabitação, o sequenciamento e a estabilidade das relações, além de varias características dos parceiros.

A maioria das pessoas que participaram da pesquisa, conduzida em 2002, era solteira - 42% dos homens e 46% das mulheres eram casados, e cerca de 9% de ambos moravam juntos, sem estarem casados, num relacionamento que envolvia sexo.

Houve variações, algumas vezes acentuadas, entre grupos raciais e étnicos. Quarenta e quatro por cento dos homens brancos eram casados, em comparação a 43% dos hispânicos e 32% dos negros não-hispânicos. Entre as mulheres, 51% das brancas eram casadas, em comparação a 45% das hispânicas e 26% das negras.

Quanto mais alto o nível educacional, maior a probabilidade das pessoas de se casarem, e menor a probabilidade de morarem juntos. Mais de 60% das pessoas com diploma universitário ou superior eram casadas.

A religião também desempenhou um papel importante. Entre os homens brancos, 55% dos que disseram que a religião era “muito importante” eram casados, em comparação a 35% daqueles para quem a religião "não era importante".

As mulheres negras foram o único grupo para quem a importância da religião não influenciou no estado civil. "O casamento envolve valores, mas em parte envolve também economia e oportunidade social", disse William D. Mosher, co-autor do relatório, "e esse pode ser um caso onde a oportunidade social e econômica simplesmente não existe".

A coabitação geralmente resultou em casamento: até o quinto ano de convivência na mesma casa, 65% das pessoas que moravam com alguém pela primeira vez se casaram.

Cerca de dois terços dos casamentos duraram mais de 10 anos, com diferenças de acordo com gênero e raça. Mulheres negras tiveram menor probabilidade que as brancas e as hispânicas de ficarem casadas por 10 ou mais anos, mas os homens hispânicos tiveram maior probabilidade que negros não-hispânicos e brancos de ter um casamento duradouro.

Siga-nos

Mais do Guiame

O Guiame utiliza cookies e outras tecnologias semelhantes para melhorar a sua experiência acordo com a nossa Politica de privacidade e, ao continuar navegando você concorda com essas condições