Amamentação: alimentação adequada para o bebê e para a mãe

Amamentação: alimentação adequada para o bebê e para a mãe

Atualizado: Terça-feira, 29 Julho de 2008 as 12

Amamentação: alimentação adequada para o bebê e para a mãe

A amamentação é uma das fases mais significativas da vida da mulher e do bebê. Porém, para este momento ser vivido em sua plenitude, é necessária orientação quanto aos cuidados e a prática correta de amamentar, pois ao contrário do que muita gente pensa, a amamentação não é um instinto para o ser humano e, sim, uma habilidade que precisa ser aprendida.

O leite materno é o melhor e mais completo alimento para o bebê, principalmente nos primeiros quatro a seis meses e, por isso, a amamentação não pode ser ignorada. Ele possui as quantidades apropriadas de todos os nutrientes (carboidratos, proteínas, gorduras e outros) para o bebê, protege contra a desnutrição e, ao mesmo tempo, contra o excesso de alimentação, pois o bebê normalmente suga de acordo com a sua necessidade.

O alimento contém também anticorpos que melhoram o sistema imunológico, protegendo a criança contra infecções, diarréias e alergias. Além disso, está sempre fresco, na temperatura certa, livre de bactérias, pronto para beber e sem necessidade de comprar fórmulas ou mamadeiras.

A amamentação promove ainda um grande vínculo afetivo entre mãe e filho. O bebê sente-se amado, seguro e protegido, e a mãe sente-se confiante, aumentando sua auto-estima. O organismo da mamãe também beneficia-se da amamentação, pois ela auxilia o útero a voltar ao tamanho normal, evitando hemorragias, e ajuda na perda de peso.

Mas a lactante também precisa tomar alguns cuidados especiais, principalmente, quanto à sua alimentação. Quando equilibrada, a alimentação ajudará a voltar ao peso ideal, dará energia para cuidar do bebê e ajudará a na produção do leite materno.

A dieta recomendada durante amamentação é muito parecida com a seguida durante a gravidez, mas com necessidades nutricionais um pouco maiores. O gasto calórico é maior e essas calorias podem ser, em partes, fornecidas pela gordura armazenada durante a gravidez, mas o restante precisa vir da alimentação.

Algumas orientações são muito importantes nessa fase. Primeiramente, beber muito líquidos é essencial. O ideal é que sejam entre oito e doze copos por dia entre água, sucos, leite, iogurte, gelatina e sopa. Refrigerantes, café e chá devem ser evitados por causa da cafeína e bebidas alcoólicas não devem ser consumidas, pois são muito prejudiciais ao bebê.

A mamãe não pode pular refeições, portanto, devem ser realizadas no mínimo três refeições ao dia. Além delas, sempre que sentir fome é importante fazer lanches nutritivos como sopas, cereal com leite, sucos, milkshakes, etc.

A grande variedade de alimentos é uma aliada nessa fase, mas gorduras e açúcares devem ser limitados. Doces e salgadinhos são exemplos de alimentos que podem saciar, mas contém poucos nutrientes importantes. Não se pode deixar de comer alimentos mais saudáveis para dar lugar àqueles ricos em gordura e açúcar.

Comendo com variedade e seguindo as instruções do profissional da saúde, não é necessário nenhum tipo de suplemento de vitaminas durante a amamentação. Seguindo cuidados básicos, é possível aproveitar a amamentação como o melhor da natureza para a mãe e o bebê.

*A autora do artigo, Cristina Martins, é nutricionista, mestre em Nutrição Clínica e doutora em Ciências Médicas. É fundadora do Instituto Cristina Martins de Educação em Saúde, que publica livretos educativos sobre o tema.

veja também