Americana investe em sex shop cristão; pastor condena

Americana investe em sex shop cristão; pastor condena

Atualizado: Sexta-feira, 25 Junho de 2010 as 9:08

Quando a relação conjugal não está bem entre quatro paredes, o cristão deve ir ao sex shop? A americana Joy Wilson, insatisfeita com os produtos eróticos oferecidos no mercado por considerá-los pornográficos, resolveu criar a sua própria loja virtual, que segundo ela, está livre de pecados. O nome do site, "Book22.com", faz referência ao salmo 22 da Bíblia.

"Nós oramos por todos os produtos antes de adicioná-los ao site. Ele (Jesus) realmente nos impressionou. Quase toda nossa página de 'pedidos especiais' está esgotada", disse a proprietária que comercializa vibradores siliconados, manual com dicas de posições sexuais e kits românticos com cremes de massagem.

De acordo com o pastor Bruno dos Santos, a saída encontrada por Joy para dar uma apimentada na relação sem o sentimento de culpa, reflete o que ele chama de uma "sub-utilização do sexo".

"Quando um pênis de borracha se torna melhor na relação do que um pênis de carne, esse casal está vivendo um sub-relação sexual, está deixando de lado o 'verdadeiro' prazer para se seduzir por um 'falso' prazer. É a coisificação sexual, transformando o parceiro apenas em 'acessório' juntamente com todos os outros apetrechos sexuais", disse Santos ao GUIA-ME.com.br.

Em sintonia com a pioneira Joy, outro site americano, o "MyBelovedsGarden.net", investiu no mercado erótico numa perspectiva divina. "Oferecemos ótimos preços em nossos brinquedos sexuais cristãos, sempre mantendo Jesus Cristo no centro de tudo", diz a página principal.

Na opinião de Santos, não há como relacionar cristianismo com sex shop. "O verdadeiro cristão não precisa de produtos eróticos, pelo simples fato de sabermos que o casamento precisa de dois princípios básicos para o sucesso: Deus e a entrega total de um para o outro", explica o pastor que não deixa de mencionar a importância de um plano de conquista diário, com direito a jantar romântico, palavras de paixão, bons perfumes e um bom hotel.

Sexo sadio

Assim como a proprietária do "Book22.com", inúmeros casais cristãos se encontram insatisfeitos com seus parceiros ou consigo mesmos por transformarem o que Santos denomina de "uma cartilha de tabus", ou então, no isso pode e isso não pode.

Aproveitar o sexo como uma bênção sem medida, isto é, inserido no contexto matrimonial, não justifica, para o pastor, a busca por produtos eróticos. "Quem recorre a estas práticas está fantasiando um problema, e deixando de resolver questões sérias que envolvem a alegria e felicidade de um casal".

"Creio que acessórios de uma sexshop sejam desnecessários em uma relação, uma vez que a relação que não encontra satisfação no outro e precisa de 'algo a mais', é uma relação doente. Ela não precisa de sexshop, precisa de cura. Da cura de corações e de um norte adequado".

Por Felipe Pinheiro 

veja também