Amizade desfeita

Amizade desfeita

Atualizado: Sábado, 2 Fevereiro de 2008 as 12

Amizade desfeita

A amizade é uma das necessidades na vida de cada homem e mulher. Ela começa já no nascimento, quando se sente o calor de nossa doce mãe nos abraçando tão forte que não queremos deixá-la. E continua, até que crescemos mais um pouco e aprendemos a fazer nosso pai rir. Então, estamos com idade suficiente para freqüentar a escola e encontramos aquela outra menina da mesma idade que parece ser tudo que queríamos ser. Dessa forma, nos tornamos adultas, e nos casamos com o homem dos nossos sonhos, que se torna nosso melhor amigo. Infelizmente, esse cenário é de um mundo ideal e que nem sempre é verdadeiro...

Amigos vêm e vão, amizades começam e terminam, e a melhor amiga pode às vezes deixar a distância influenciar. Na maioria das vezes, somos nós mesmas que permitimos que essa quebra aconteça. É uma fofoca que se escuta, um mal-entendido não resolvido, uma atitude impensada e uma expectativa maior do que alguém poderia possivelmente atingir. Sabemos o quanto a amizade é importante para nós. Mas quando pequenas coisas, tais como as citadas acima, interferem entre nós e uma amiga, rapidamente esquecemos de sua importância em nossas vidas e fazemos a escolha comum: a distância.

Você já ouviu falar que a distância curou uma ferida? A ferida no coração não pode ser curada pela distância ou pelo tempo porque está no interior, e as lembranças não desaparecem dessa forma. "O tempo cura todas as feridas", mas você sabe o que isso realmente significa? Isso não significa que se você se distanciar da pessoa que a feriu, suas feridas serão curadas. Porque se fosse assim, então de onde viriam os rancores?

O significado é que, quando o tempo passa, chegamos à conclusão da tolice que é guardar lembranças más das pessoas. Os rancores prejudicam apenas a própria pessoa. Quando se guarda algo ruim no interior, isso acompanha a pessoa como se fosse uma carga desnecessária pendurada no seu pescoço. Se pensarmos um pouco, por que carregar isso conosco se poderíamos simplesmente jogar fora ou remover?

Tive duas amigas muito próximas que se distanciaram por causa das circunstâncias e, na época, senti-me de fato machucada. Toda vez que ouvia seus nomes, lembrava de quão desapontada elas me fizeram sentir e eu freqüentemente não estava interessada no que as pessoas tinham a dizer sobre uma ou outra. Eu já as tinha perdoado no meu coração, mas decidi nunca me deixar ser machucada de novo. Então me distanciei também.

Foi quando Deus falou comigo que não adiantava nada fazer com elas o mesmo que elas faziam comigo. Dessa forma, eu estaria tão errada quanto elas. Por que eu permitiria que outros me influenciassem a fazer coisas que normalmente não faço, apenas para me proteger? Com que freqüência, a fim de nos protegermos, acabamos fazendo a mesma coisa errada que a outra pessoa fez?Nos distanciando, mudando em relação a elas e até mesmo olhando para elas de forma diferente?

No meu coração, sempre tentei ser uma boa amiga. Por que então faria o contrário agora? Este é o motivo por que as amizades são desfeitas: nós as deixamos ser desfeitas. Se permanecemos como uma boa amiga, a amizade não será desfeita e acabaremos sendo aquela que dará a lição!

Postado por: Claudia Moraes

veja também