Antes de cair na piscina, saiba se ela tem cloro, sal ou ozônio

Antes de cair na piscina, saiba se ela tem cloro, sal ou ozônio

Atualizado: Segunda-feira, 12 Janeiro de 2009 as 12

A prática de esportes aquáticos é sempre uma excelente opção de exercício físico, mas você sabe quais as condições ideais da água das piscinas para não prejudicar a sua saúde, nem a estética? Ionização, salinização e o tradicional uso do cloro são os métodos mais usados atualmente.

"A água deve ser tratada de modo que não interfira no desempenho dos atletas e que não haja proliferação de algas, fungos e bactérias", diz Rui Dammenhain, especialista em Vigilância Sanitária do Inbravisa (Instituto Brasileiro de Vigilância Sanitária. Conforme explica o sanitarista, os principais tipos de água utilizados hoje em dia em piscinas são: salinizada, com cloro e ionizada. Vamos às explicações...

Como o soro fisiológico (usado para fazer assepsia de lentes de contato), a salinização é uma composição de água e sal, em dose bem mais baixa do que a da água do mar. Bastante comum na Europa e Estados Unidos, a água salinizada dá a sensação de se nadar em um ambiente mais leve e menos pegajoso do que a clorada, por exemplo. "Atualmente se acredita que o método da salinização é o mais indicado pela característica de não causar irritações nos olhos, pele e couro cabeludo. Além disso, ele destrói bactérias, algas e micros organismos que se desenvolvem na água da piscina", diz Dammenhain.

Já na água ionizada ocorre a aplicação de ozônio. "Variedade do oxigênio que se forma na atmosfera por reações fotoquímicas, o ozônio é um agente que promove a sanitização aquática", explica. Em outras palavras, o procedimento provoca a floculação de partículas de sujeira e gordura e a retenção de bactérias, germes e fungos. Esse tipo de filtro – sem química - também evita a desidratação da pele e dos cabelos, olhos irritados, coceiras e transmissão de doenças infecciosas e micoses. A vantagem é que o ozônio ainda protege contra os raios ultravioletas.

"Mas de longe o uso de cloro ainda é o mais difundido, apesar de causar bastante alergia", comenta o doutor Rui Dammenhein. O que acontece é que o cloro se dissipa muito facilmente e para que a piscina mantenha o nível ideal é preciso colocar mais cloro, que pode trazer problemas, além da alergia, como pele e cabelos ressecados, até mesmo insuficiência respiratória.

"No que se refere à temperatura da água, o ideal é que a temperatura permaneça entre 25 e 30 graus", esclarece o especialista. Isso evita aumento da pressão sanguínea, previne contra desmaios e mal estar. No quesito beleza, é sempre bom manter alguns cuidados como touca de banho e, após os cabelos molhados, use shampoo que trate corretamente das madeixas, enxaguando-os em água fria para abrir as cutículas do fio.

veja também