Aos 3 anos, as crianças parecem adolescentes?

Aos 3 anos, as crianças parecem adolescentes?

Atualizado: Quarta-feira, 25 Agosto de 2010 as 10:50

Sabem o que tenho percebido ultimamente e com frequência? Pais completamente confusos, paralisados e queixosos pedindo ajuda porque seus filhos de 3 anos estão na adolescência!!!

O pequeno "boss" da situação manda e comanda toda a família, todos o temem porque ele não tolera nenhuma frustração, tem verdadeiros chiliques, dá respostas atravessadas como um verdadeiro adolescente! Quando seus pais reprovam alguma conduta ele (a) reage: "bla, bla, bla!", deixando a família sem graça na frente dos outros!

Do que se trata esse novo fenômeno? É frequente, mas é normal? Sabemos que, aos 3 anos, do ponto de vista do nosso "velho e bom" Freud, a criança vive a fase Edípica. Freud traz como o modelo o mito de Édipo, no qual o jovem mata o pai e apaixona-se pela mãe para trazer o funcionamento onipotente da infância. A criança deseja o impossível de maneira poderosa, autoritária, egocêntrica e precisa do limite de um casal presente, bem estruturado para organizar-se e, assim, adquirir as regras sociais. Sim! Ela deseja, por exemplo, comandar, mas tem o pai que interdita, dá limites, diz que não pode! Assim, a criança temendo o pai ou, ainda, por temer perder o amor de seus pais, acaba por desistir e internalizar as regras. Freud chamou essa "instância psíquica" de Super Ego. Ela corresponde à moral, às regras, àquilo que podemos fazer ou às proibições.

O que quero dizer? Que as crianças de 3 anos começam a dizer "não", em parte porque querem se sentir aceitas e, em parte para contrariar, ou seja, testar os adultos. Acontece que os pais de hoje não estão em 1890 ou 1900 – como Freud -, mas são famílias de pais separados, recasados, gays e, finalmente, famílias que desejam dar aos filhos "aquela liberdade e importância que eles não tiveram".

É uma turbulência emocional na cabeça da criança, dos pais, dos profissionais e para mim também. Vocês querem que o psicanalista resolva essa bagunça?! Pequenos "chefinhos" que ninguém suporta, irritados, destruindo consultórios?!

Bom, estou tentando tratar um assunto sério de maneira bem humorada! Na verdade, 3 anos é uma idade belíssima de desafios e descobertas e não devemos chamar de adolescência essa fase, apesar de ser muito intensa.

E como fazer para transformar essa fase no que ela é naturalmente? Dando uma resposta para a criança por meio de uma família realmente presente, modelo de "autor-idade" para ela. Caso contrário, ela cresce se sentindo frágil, já que ninguém a enfrenta, todos têm medo dela. A pior coisa que existe é uma criança que sente que os adultos a temem!!

Por: Anne Lise Scappaticci

veja também