Apoio de familiares e amigos é essencial durante a gestação

Apoio de familiares e amigos é essencial durante a gestação

Atualizado: Quinta-feira, 14 Abril de 2011 as 9:56

A maternidade é um momento único e especial que marca uma nova fase na vida da mulher. Esta fase traz consigo mudanças importantes na forma como a mulher se relaciona com seus sentimentos e com o mundo.  

E quais são estas mudanças?  

Somos seres singulares, com histórias de vida bem diferentes e, por isso, cada mulher vivencia sua maternidade de uma forma particular. Algumas mulheres iniciam o processo de elaboração deste novo papel antes de estarem grávidas, tamanho é o seu desejo. Para outras, o início se dá quando recebem o resultado positivo do exame, ou somente quando a barriga já está maior e o bebê começou a mexer, pois até então a situação lhe parecia abstrata e pouco real.  

A partir do momento em que a mulher se dá conta de sua nova condição, uma série de sentimentos e dúvidas afloram: será que este é o momento certo? Será que vou ser uma boa mãe? Como conciliar maternidade e profissão?    Podem surgir também alguns desconfortos físicos como o mal-estar, as náuseas, o sono alterado, o ganho de peso... São sensações, dúvidas e sentimentos característicos desta fase e que aos poucos a mulher vai se familiarizando.  

A futura mamãe também percebe que há uma demanda diferente vinda de fora. Os familiares, amigos e médicos são pessoas que agora passam a fazer parte de sua vida de uma forma um pouco diferenciada, mobilizados com a barriga que não para de crescer. Eles compartilham, agradam, opinam e, às vezes, até invadem este espaço sem mesmo serem autorizados. Mediante tantas "informações", algumas mulheres podem se sentir incomodadas, pois precisam lidar também com este "social" que, em alguns momentos, parece não compreender qual é o seu lugar e a dose adequada de sua atuação.  

E em paralelo a tudo isso a natureza atua...

São aproximadamente 38 a 42 semanas de gestação, um período importante para que a mulher se prepare, pense sobre seu novo papel, lide com as transformações físicas que aos poucos dão seus sinais, e prepare espaço físico e emocional para a chegada do seu filho em sua vida.  

Neste tempo em que o   bebê   se desenvolve, se desenvolve também uma mãe e, durante este período, a mulher pode ficar mais sensível às questões relacionadas a sua história e relações parentais. Os sentimentos parecem aflorar de uma forma mais intensa e este é um período de re-significação destas relações. É um momento muito apropriado para isso, pois a mulher passa por uma regressão natural que contribui para que ela se conecte um pouco mais a cada dia com o seu bebê para, quando ele chegar, ela estar identificada o bastante a ponto de reconhecer e assim suprir suas necessidades.      Para que a futura mamãe possa vivenciar este período de uma forma mais tranquila e segura é de extrema importância o apoio de pessoas queridas como o companheiro, amigos e familiares, pois esta mãe se sentindo mais fortalecida conseguirá desempenhar seu novo papel de uma forma mais confortável e satisfatória quando seu bebê chegar, o que pode contribuir para evitar o aparecimento de patologias como a depressão pós-parto.  

A mulher que já passou pela experiência de ter um   filho   não está isenta dessas sensações, assim como sabemos que cada bebê tem sua forma de chegar ao mundo, com suas características de alimentação e sono próprias, cada   gestação   tem suas diferenças, e a mãe do primeiro bebê pode ser bem diferente da mãe do segundo bebê, dada sua experiência e momento de vida.  

Mas, independente disto, a maternidade tende a ser transformadora, atua de forma significativa na vida da mulher e pode ser uma experiência bastante positiva. Uma gestação tranquila, com o apoio de familiares e profissionais da saúde, contribui para que no pós-parto a mãe possa se apropriar e vivenciar este novo papel com mais serenidade.    

veja também