As Mulheres e as finanças pessoais

As Mulheres e as finanças pessoais

Atualizado: Quinta-feira, 23 Julho de 2009 as 12

Quero falar sobre a questão do relacionamento da mulher com as finanças pessoais. Normalmente, as famílias brasileiras são gerenciadas por mulheres - mesmo elas não sendo as maiores provedoras de renda do lar.

Porém, em nenhum momento da vida estas mulheres receberam orientação para realizar o gerenciamento e o planejamento das finanças pessoais. Como consultor de finanças pessoais, percebo esta carência das mulheres quando a questão é o controle das contas pessoais. A maioria do público das minhas palestras e cursos e também de consultorias individuais é de mulheres.

Muitas dizem de suas dificuldades quando o assunto é dinheiro. Não estou falando de ganhar dinheiro, pois isto as mulheres já estão fazendo muito bem, conforme pesquisas que indicam o aumento do número de mulheres trabalhando em empresas e estudando em universidades. Elas estão em frentes de trabalho, antes exclusivo de pessoas do sexo masculino. No entanto, no quesito de gastar e administrar o dinheiro é que estas mulheres estão tendo maior dificuldade. As mulheres estão sendo muito influenciadas pela pressão do consumismo. A moda, por exemplo, lança novidades a todo o momento e neste ponto eu pergunto: qual mulher não quer andar na moda? Não sou contra as mulheres andarem na moda. O problema surge quando não há controle e planejamento das finanças pessoais para andar de acordo com a moda. Isto gera descontrole financeiro e, por conseqüência, problemas com pagamento de juros e outras contas.

Uma vendedora de uma empresa multinacional me disse que toda vez que brigava com o namorado ou com o chefe, ela ia ao shopping comprar uma roupa ou um sapato novo. Neste caso, ela estava utilizando-se do prazer em comprar e sentir-se bem com a roupa para contrapor a desavença no namoro ou no serviço. Isto é agir por impulso. O que acarretou a ela sérios problemas no cheque especial e no cartão de crédito. Tanto que ela não pagou as multas de seu carro e estava sujeita a apreensão de seu instrumento de trabalho, pois o dinheiro tinha sido gasto em roupas.

Outro exemplo foi quando uma bióloga me disse que no lançamento de um tênis ela tinha comprado um par de cada cor, colocado um em cada sacola para que pudesse entrar em casa com eles escondidos do marido. Ela também estava com problemas no cheque especial. Tinha consciência de que o marido não iria concordar com aquela atitude, mas mesmo assim realizou a compra.

Todas são pessoas que me disseram não gostar de fazer contas e planejar, porém não podemos deixar de fazer um controle das finanças por não gostar de colocar as contas no papel. É um simples controle do que entra e do que sai a fim de se evitar problemas. Este controle é feito em apenas 10 minutos por semana. O que não pode é deixar acumular um mês para saber o resultado. Quando você deixa para fazer apenas o balanço mensal, os erros já terão ocorrido e será difícil consertar.

Portanto, mulheres, aprendam que saber gastar é tão importante quanto ganhar. Que todos possam viver em paz com seu dinheiro!

Postado por: Felipe Pinheiro

veja também