Aula de música estimula habilidades das crianças

Aula de música estimula habilidades das crianças

Atualizado: Segunda-feira, 21 Junho de 2010 as 2:01

Música voltou a ser disciplina obrigatória nas escolas brasileiras. O retorno das aulas foi decidido em 2008 pelo Ministério da Educação. No ano que vem, termina o prazo de adaptação e todas as instituições já deverão ter essas aulas em seus currículos. Quem está na casa dos 40 talvez se lembre: em 1971, durante a ditadura militar, as aulas de música foram fundidas com as artes plásticas e o teatro, formando a disciplina "Educação Artística".

A volta da música ganhou aplausos de gente importante. "Essa volta vai ficar na história. A música está em primeiro lugar como oportunidade para a inclusão social em vários países", diz João Carlos Martins, pai de Carlos Eduardo, João Carlos, Daniela e Patrick, maestro da Orquestra Bachiana Filarmônica.

Os educadores também estão comemorando a medida. Afinal, as crianças só têm a ganhar com ela. Não se trata apenas de aprender melodias, mas também de desenvolver sensibilidade, criatividade e comunicação. A ideia de que a música toma o tempo que deveria ser dedicado às matérias tradicionais já caiu por terra. Esse aprendizado acrescenta informações culturais e históricas, e o exercício da estrutura e linguagem musicais desenvolvem o raciocínio lógico.

Preste atenção ao escolher a escola do seu filho. Não basta deixar que os alunos apreciem uma canção de que gostem e aprendam a cantá-la. Claro que não podemos deixar o prazer de lado, mas uma boa aula de música deve trazer desafios, envolver as crianças na linguagem e na produção musical. Na escola, os pequenos têm contato com a música desde o maternal. Nessa fase, tudo é música, e os professores exploram isso com brincadeiras, com palmas e cirandas. Já na educação infantil, os alunos podem apreciar algumas canções, interpretá-las e dramatizá-las. Também podem fazer instrumentos com sucata, o que, além de ser muito divertido, estimula a criatividade e a coordenação motora.

A partir do ensino fundamental, as crianças já são capazes de se tornar também produtores da música, e podem aprender como ela se estrutura. Seu filho pode estudar a linguagem e os códigos das melodias, analisar os contextos históricos de composições diferentes e até escolher algum instrumento para tocar. a música na escola também é uma ótima aliada para o desenvolvimento do repertório Cultural. Imagine que bela surpresa será quando, ao ouvir uma música de Chico Buarque ou Elis Regina no rádio, seu pequeno reconhecer e começar a cantarolar com você.

O maestro Heitor Villa-Lobos, considerado o maior compositor das Américas, também ficaria bem satisfeito. Durante o governo de Getúlio Vargas, ele organizou e dirigiu a Superintendência de Educação Musical e Artística, que possibilitou a inserção da música nas escolas. Mais tarde, esteve sempre entre os que defendiam a volta desse aprendizado ao currículo escolar. Agora que essa conquista finalmente aconteceu, seu filho vai aprender essa história na escola.

Consultoria: Silvia Stefano, coordenadora de curso da educação infantil do colégio Augusto Laranja. José Luís Landeira, doutor em linguagem e educação, orientador de linguagens e códigos e do colégio Franciscano Nossa Senhora Aparecida (consa), Maurício Paraventi, músico e professor de música do Consa.  Ody Furtado Gonçalves, professor de história do Consa.

veja também