Canção de ninar é importante para o desenvolvimento infantil

Canção de ninar é importante para o desenvolvimento infantil

Atualizado: Segunda-feira, 7 Junho de 2010 as 10:48

Mais poderoso meio de comunicação do que a palavra, a música reúne um importante conjunto de estímulos que favorece enormemente o desenvolvimento infantil. Tudo começa com a canção de ninar, gostosamente presente no início da vida em comum quando nasce um bebê e uma mãe.

Mesmo a mais veterana das mulheres em maternidade, renasce como mãe a cada cria, e os começos e recomeços são embalados por cantigas que acalentam esse encontro favorecendo a construção da nova relação que surge com a chegada do filho. Sempre adorei cantar para os meus filhos, são lembranças de momentos deliciosos que guardo da vivência com cada um dos três.

Segundo a psicopedagoga Quézia Bombonatto, presidente da Associação Brasileira de Psicopedagogia, a primeira idéia que se tem da canção de ninar é acalmar a criança, mas, ela é muito mais do que isso. Esse é um importante meio de comunicação entre os pais e o bebê e tem a função de afetividade.

A psicopedagoga inclui o pai no desenvolvimento do cancioneiro familiar, pois acredita que a participação dos homens na vida afetiva dos filhos tem crescido a cada geração, com forte presença da música para fortalecer esses vínculos. "Hoje os pais estão mais presentes na construção da afetividade. Antes, ficava muito por conta da mãe", salientou. (Sobre isso, vou pedir para o Claudio contar um pouco da experiência dele, é uma piada!).

Quézia Bombonatto disse que para muito além da função primitiva de tranquilizar a criança e fazê-la dormir, a mãe canta para acalentar e oferecer aconchego. Por meio da música, esse sentimento de proteção é captado pelo bebê. É um estímulo valioso para o desenvolvimento porque a criança começa a identificar, desde muito cedo, a voz e a entonação do pai e da mãe.

"A canção de ninar muitas vezes vem acompanhada do embalo, que é muito importante para todo o desenvolvimento psicomotor, para o sistema neurológico da criança, do equilíbrio. A música é um meio de comunicação assim como a fala, o desenho, mais pra frente, são formas diferentes de expressão", explicou.

A música favorece uma série de fatores que interferem no desenvolvimento cognitivo da criança. As sensações que ela experimenta com os vários ritmos e os diversos sons ao ser exposta a uma canção de ninar ou à interpretação de uma orquestra conduzem ao aprendizado que ajuda na discriminação e na memória auditiva.

"A criança vai se dando conta da melodia e vai desenvolvendo a sua memória auditiva e aperfeiçoando a discriminação auditiva, se preparando, depois, não só para os sons da fala, mas, também para a discriminação dos vários fonemas. Quanto menor a criança, mais probabilidade de aquisição de diferentes fonemas ela tem", ressaltou.

Segundo Quézia Bombonatto, essa capacidade das crianças é percebida pela maior facilidade que elas têm para aprender um novo idioma. A estimulação musical favorece a percepção da sonoridade da língua. "Quanto mais for estimulada, maior a possibilidade de desenvolver essas discriminações auditivas e poder repetir", afirmou.

A psicopedagoga disse que os bebês aprendem sobre a cultura dos pais pelo repertório musical. As escolhas revelam temperamentos e demonstram valores e gostos. Na avaliação dela, é muito pequena a probabilidade de uma criança tirar proveito de uma música clássica se os pais não tiverem o hábito de ouvir esse tipo de música.

Quézia Bombonatto psicopedagoga é, presidente da Associação Brasileira de Psicopedagogia

veja também