Casamento é bênção de Deus. Precisamos de conselheiros para propagar essa verdade

Casamento é bênção de Deus. Precisamos de conselheiros para propagar essa verdade

Atualizado: Sexta-feira, 4 Abril de 2008 as 12

Precisamos entender que o casamento não foi uma instituição criada pelo homem e sim por Deus. Logo no princípio viu Deus que não era bom que o homem estivesse só e, então, criou a mulher (Gênesis 2:8). A criação da mulher trouxe vida e graça à existência do homem.

A instituição do casamento teve como finalidade não só a pureza da família, como também o desenvolvimento de uma sociedade justa e ordeira.

Na sociedade atual, o casamento é visto com uma instituição falida. A maioria das pessoas encara a união formal entre um homem e uma mulher como uma competição, simbolizada por um ringue de combate, onde os cônjuges, mais do que parceiros, tornam-se adversário.

Casamento, para muitos, é sinônimo de problema e chateação. Tudo isso somado às influências negativas da mídia, ao liberalismo, à apologia à individualidade e às mais diversas faces do esoterismo faz com que as uniões durem, em média, seis meses, seguindo-se as brigas e a "inevitável" separação. Num cenário como este, fica evidente que a família está morrendo por falta de um remédio infalível: a Palavra de Deus.

Diante da realidade que temos hoje na área conjugal, tanto no mundo secular como dentro da própria igreja, a necessidade de termos pessoas capazes e interessadas por detectar as razões para tantos desencontros, incompatibilidades e separações, é urgente. A igreja carece de homens e mulheres capacitados a aconselhar os noivos de maneira realista, levando-os a compreender qual os propósitos de Deus na união de um homem a uma mulher, bem como a complexidade e a seriedade de um compromisso que foi criado para ser eterno.

Os noivos têm que ser levados a avaliar as expectativas e razões porque estão pretendendo se casar. Ambos, noivo e noiva, devem estar prontos e dispostos a exercer a forma de amor incondicional que nos ensina o mestre. Cabe ao conselheiro muita responsabilidade, pois este papel poderá ser determinante, quanto ao futuro de duas ou mais vidas, se estas serão pessoas felizes que produzirão outras pessoas felizes, ou se ao contrário, serão pessoas infelizes que produzirão pessoas mais infelizes

Luciano Avelino é pastor e teólogo. Juntamente com sua esposa, Myrian Rosário, atua no ministério de aconselhamento de casais, noivos, jovens e adolescentes. 

  

veja também