Chega ao Brasil "Escolinha" para idosos

Chega ao Brasil "Escolinha" para idosos

Atualizado: Quarta-feira, 30 Julho de 2008 as 12

O transporte vai buscá-lo e ao chegar no centro-dia recebe todos os cuidados como alimentação, higiene diária, acompanhamento da enfermagem, além das atividades diárias para o desenvolvimento físico e mental.

 

Proporcionar bem-estar aos nossos velhinhos é um assunto complicado de se pensar, principalmente quando o idoso faz parte de uma família atribulada pela correria e compromissos do dia-a-dia. Hoje no Brasil eles já representam 9% da população total, segundo dados do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE).

O envelhecimento da população é um reflexo do aumento da expectativa de vida. Estima-se que em 2020 a população com mais de 60 anos no país deva chegar a 30 milhões de pessoas (13% do total). Porém como obter ou manter uma boa velhice, mesmo quando a família não tem condições de dedicar?se integralmente ao idoso, ou até mesmo quando já possui limitações causadas por doenças que requer um cuidado intensivo?

No Brasil, uma doença que atinge os idosos e vem deixando as famílias de 'cabelos brancos' é o Mal de Alzheimer, conhecido popularmente como "caduquice". Com o idoso perdendo gradativamente a lucidez e ficando cada vez mais dependente de terceiros para realizar as tarefas do dia-a-dia, a família encontrava apenas duas opções para cuidar dele, contratar um 'cuidador', geralmente um profissional de enfermagem que fica ao dispor do idoso na residência da família ou interná-lo em uma clínica de repouso. Porém, chega ao Brasil mais um serviço voltado ao bem-estar, qualidade de vida e s aúde do velhinho, o centro-dia, conhecido internacionalmente como day-care.

Pode-se comparar a idéia como uma 'escolinha' para o idoso. A família o leva até o local, ou se desejar, o transporte vai buscá-lo e, ao chegar, recebe todos os cuidados como alimentação, higiene, acompanhamento da enfermagem, além das atividades diárias para o desenvolvimento físico e mental. Esse tipo de serviço já uma realidade em outros países e na Europa. Um exemplo é nos Estados Unidos. Segundo  informações encontradas no site da National Adult Day Services Association (NADSA), atualmente existem cerca de quatro mil centros-dias e mais de 150 mil pessoas recebem cuidados nessas "escolinhas", de acordo com dados da American Association of Homes and Services for the Aging (AAHSA).  "Um dos grandes atrativos deste serviço é o desenvolvimento que o idoso adquire em um lugar estruturado exclusivamente a ele e a segurança que transmite a família, por saber que o idoso está sendo bem tratado e que não perderá o contato diário com a família, tirando a culpa e o remorso pela sensação de abandono quando é internado em uma casa de repouso. Nos países da Europa e nos Estados Unidos este tipo de serviço já se tornou uma necessidade", afirma Renata Oliveira, sócio-diretora do Espaço Senior, empresa que faz parte desse novo nicho de mercado que se abre no país.

Recém inaugurado, a especialidade do Espaço Sênior é em idosos com debilitações como Alzheimer, Parkinson e AVC e velhinhos que necessitem de atenções especiais. Todos são orientados e tratados por profissionais como fonoaudiólogas, fisioterapeutas, musicoterapeutas, educadores físicos e terapeutas ocupacionais. Com um espaço de aproximadamente mil metros quadrados, o ambiente oferece um jardim com horta para plantar, 20 leitos para repouso, quatro salas de terapias, refeitório, barbearia e salão de beleza. "Tentamos reintegrá-los a todo instante. Os pacientes são trabalhados e cuidados com muita atenção e dedicação. Algumas famílias já estão sentindo o resultado de perto. Já ouvimos relatos de que o paciente voltou a dormir a noite ou até mesmo está mais disposto e se sentem mais felizes", diz Oliveira.

No Brasil, grande parte das famílias ainda optam por interná-los em casas de repouso ou em contratar enfermeiros para acompanharem o dia-a-dia do idoso, porém o centro-dia é uma opção para  manter o convívio familiar e garantir a segurança do idoso, pois estarão sendo acompanhados por uma equipe especializada em um ambiente personalizado. "Aqui o idoso recebe todo o tratamento que necessita tanto médico quanto pessoal e emocional, tirando a necessidade da família sair de casa ou do trabalho para proporcionar essas atividades a eles", finaliza Oliveira.

Postado por Myrian Rosário

veja também