Cheiro Suave - Coluna Erasmo Miranda

Cheiro Suave - Coluna Erasmo Miranda

Atualizado: Quarta-feira, 29 Abril de 2009 as 12

"Ouvistes que foi dito aos antigos: Não matarás; mas qualquer que matar será réu de juízo. Eu, porém, vos digo que qualquer que, sem motivo, se encolerizar contra seu irmão, será réu de juízo; e qualquer que disser a seu irmão: Raca, será réu do sinédrio; e qualquer que lhe disser: Louco, será réu do fogo do inferno. Portanto, se trouxeres a tua oferta ao altar, e aí te lembrares de que teu irmão tem alguma coisa contra ti, deixa ali diante do altar a tua oferta, e vai reconciliar-te primeiro com teu irmão e, depois, vem e apresenta a tua oferta. Concilia-te depressa com o teu adversário, enquanto estás no caminho com ele, para que não aconteça que o adversário te entregue ao juiz, e o juiz te entregue ao oficial, e te encerrem na prisão. Em verdade te digo que de maneira nenhuma sairás dali enquanto não pagares o último centavo" (Mateus 5:21-26).

Leia: (1ª Coríntios 13 e 2ª Coríntios 2).

Quando procuramos ofertar a alguém alguma coisa, ou seja, dar um presente, buscamos dar algo que tenha boa serventia, para suprimento de suas necessidades, ou então, por querermos exclusividade, para que sejamos sempre lembrados, damos uma novidade que ela ainda não possui. Em se tratando de Deus, o que nós poderíamos dar para Ele, que Ele já não o tenha? Pois tudo foi criado por Ele: "Do SENHOR é a terra e a sua plenitude, o mundo e aqueles que nele habitam" (Salmo 24:1). E se tudo pertence a Ele, como saber se Ele necessita de alguma coisa para que possamos suprí-la?

É importante que saibamos que, nem tudo que ofertamos é aceito. Tratando-se de pessoas, de algumas, recebemos a recusa abertamente. De outras, percebemos no olhar. No entanto, existem aquelas que recebem, mas nunca utilizam os presentes, e na primeira oportunidade, desfazem-se deles. Se nós, que sofremos algum tipo de necessidade, por sermos limitados, somos difíceis de ser agradados, imaginemos então Deus, que é Ilimitável.

Sendo assim, fica então a questão: Como agradar a Deus em nossas ofertas?

A Bíblia relata a primeira vez que pessoas ofereceram algo para Deus: "E aconteceu ao cabo de dias que Caim trouxe do fruto da terra uma oferta ao SENHOR. E Abel também trouxe dos primogênitos das suas ovelhas, e da sua gordura; e atentou o SENHOR para Abel e para a sua oferta. Mas para Caim e para a sua oferta não atentou. E irou-se Caim fortemente, e descaiu-lhe o semblante" (Gênesis 4:3-5). Parece até que Deus agiu injustamente, pois, tanto Caim, como Abel, ofereceram a Deus daquilo que lhes eram próprios. Caim, como agricultor, ofertou do fruto da terra. Abel, como pastor, ofertou do seu rebanho. No entanto, ao continuarmos a leitura, perceberemos que Deus agiu com total justiça: "E o SENHOR disse a Caim: Por que te iraste? E por que descaiu o teu semblante? Se bem fizeres, não é certo que serás aceito? E se não fizeres bem, o pecado jaz à porta, e sobre ti será o seu desejo, mas sobre ele deves dominar " (Gênesis 4:6-7). Pronto, descobrimos a receita para que as nossas ofertas nunca sejam recusadas pelo Senhor. Vejam só a pergunta feita por Ele para Caim: "Se bem fizeres, não é certo que serás aceito?" Se nós fizermos bem, se a nossa oferta for boa, como a que Abel ofertou, Deus não a recusará, mas, se ofertarmos como Caim, parecendo estar em uma disputa com seu irmão, oferecendo a Deus com o único objetivo de vencê-lo nesta disputa, talvez até para contar algum tipo de vantagem, além das nossas ofertas serem rejeitadas por Deus, ainda poderemos incorrer em muitos erros por causa desta insanidade, dentre os quais, destacamos o homicídio.

Amados, quando ofertamos com o mesmo sentimento de Caim, visando sobressairmos sobre todos ao nosso redor, tratando-os com desdém, desprezo, não dando a eles nenhum valor, nenhuma importância, nos tornamos assim, homicidas, sem até mesmo praticar tal ato. Visto que, nós negamos-lhes a existência. Sendo assim, como poderíamos querer que Deus aceite a nossa oferta?

Escutem bem o que vou lhes dizer, se é que o podem. Mas podemos escutar sim, pelo poder do Espírito Santo: existe algo que nós podemos privar Deus de tê-lo, e se nós podemos privá-lo deste algo, quer dizer que nós podemos ofertar a Deus algo que Ele não possui, que até mesmo necessita para que seja cumprido o Seu propósito neste mundo. Se nós não ofertarmos este algo a Ele, Ele nunca o terá, pois não nos tomará, pois temos o poder de querer ou não querer ofertar.

"Amados, podemos ofertar a Deus o nosso amor; o qual subirá para Ele, como cheiro suave".

Pense: "Amai a Deus sobre todas as coisas, e a teu próximo como Cristo nos amou".

Ore: SENHOR, Tu és o nosso Pai de amor; quero a cada dia, estar ofertando o meu amor a Ti, para que assim, os meus relacionamentos possam ser fortalecidos sobre uma base sólida, sobre a Rocha; e que possam saltar daqui para eternidade. No poder do Espírito Santo, para a glória de Deus Pai, e em nome de Jesus, Amém.

"Abençoe-nos Deus, e todos os confins da terra O temerão" (Salmo 67:7).

Erasmo Miranda de Araújo é presbítero e trabalha nos ministérios de Ação Social e Ensino.

Contato:

http://www.portalestilo.com.br/madruga   

veja também