Clichês de sexo

Clichês de sexo

Atualizado: Sexta-feira, 30 Abril de 2010 as 4:35

Chavão e frase feita não faltam quando o assunto é cama, orgasmo e preferências sexuais. Confira cinco clichês comuns quando o assunto é relação sexual, e tire suas dúvidas:

Toda mulher finge orgasmo alguma vez na vida

É verdade. Toda mulher já fingiu que teve orgasmo. Ou, pelo menos, omitiu que não teve. Talvez até tivesse confessado, se inquirida. E isso é pelo bem da relação, porque a mulher é sensível e prefere não afetar aquele parceiro de quem ela gosta, que se esmerou para lhe agradar. Mas, se ela passa a vida fingindo e nunca tem orgasmo, aí deve procurar ajuda. O que ocorre é que, muitas vezes, a mulher sente prazer mesmo sem chegar ao ápice. E, se ela gostou da relação, não há por que dizer que não teve orgasmo, pode omitir.

Carmita Abdo, psiquiatra, coordenadora do projeto Sexualidade da Universidade de São Paulo (Prosex) e autora do livro Descobrimento Sexual do Brasil (ed. Summus)

Homem não se sente atraído por mulheres gordas

Essa idéia é falsa. Muitos homens sentem-se atraídos por mulheres gordas, e não estou falando apenas de "cheinhas" mas também de mulheres com 1,60 metro e 100 quilos. A ala masculina em geral não se importa se as parceiras têm um tamanho que – pelos critérios estéticos e culturais – seria considerado acima do peso. Algumas mulheres chegam a reclamar de que os namorados querem colocá-las num regime de engorda – as que desejam emagrecer só conseguem depois que o relacionamento termina.

Oswaldo Martins Rodrigues, psicoterapeuta e diretor do Instituto Paulista de Sexualidade

A libido cai quando nascem os filhos

É normal ocorrer uma oscilação no desejo, mas isso não é uma regra absoluta. Algumas mulheres sentem-se tão poderosas quando se tornam mães e são alvo de tantas atenções do parceiro que querem retribuir fazendo mais sexo com ele. No entanto, é comum a vontade diminuir, pois, quando a mulher engravida, começa a produzir progesterona, que é uma espécie de proteção da natureza – assim ela se torna mais maternal e menos sexual. Embora exista esse fator, não significa que a libido feminina vá diminuir – e, sim, que temporariamente a disposição para cuidar do bebê ganhará o primeiro plano. Além do mais, a mulher terá menos tempo para cuidar de si mesma, física e emocionalmente. Por tudo isso, a tendência é não ter tanta vontade de fazer sexo."

Carmita Abdo

veja também