Coluna - Luís Eduardo Machado

Coluna - Luís Eduardo Machado

Atualizado: Terça-feira, 4 Março de 2008 as 12

"Educa a criança no caminho em que deve andar; e até quando envelhecer não se desviará dele." (Provérbios 22:6)

A primeira grande lição que precisamos aprender sobre a paternidade/maternidade é que a responsabilidade pela educação dos filhos pertence única e exclusivamente aos pais.

Alguns pais passaram essa responsabilidade para o "colégio". Erro grave! Que os professores devem colaborar na formação dos alunos não há dúvida, mas achar que eles devem fazer o papel dos pais na educação dos filhos é inconcebível. Outros pais têm entregue a formação dos seus filhos à televisão. Como uma espécie de "babá eletrônica", a TV distrai as crianças... E com certeza ajuda a deformá-las completamente (com os seus "valores" invertidos).

Há pais que delegam a educação dos seus filhos aos avós ou outros parentes ou até a amigos próximos. Entendo que algumas pessoas trabalham demais e têm tempo de menos, mas tenho certeza que nada poderá substituir os pais na educação e formação da criança. Pior são os pais que entregam a formação dos seus filhos ao "mundo", isso é, à rua. A criança fica o dia inteiro na rua e os pais esperam que aprendam algo que preste (sic!).

A segunda grande lição tem relação com a principal tarefa dos pais. A principal função de um pai não é prover dinheiro para os filhos (isso é importante, mas não é tudo!). A grande tarefa de um pai é formar moralmente o seu filho. Isso mesmo! A coisa mais importante que um filho levará dos seus pais para o resto da vida é a sua formação (ou deformação) moral. Quando falo em "formação moral" me refiro objetivamente ao ensino de um sistema de valores que capacite a criança a discernir entre o certo e o errado. (Há um certo e errado ? moral ? para cada coisa, e isso não depende da sua opinião pessoal e sim da existência de um padrão moral único e seguro).

Canso de ver homens adultos que tiveram "tudo" dos pais, menos uma formação moral correta. Aliás, muitos pais não têm condição de dar uma "educação moral" para seus filhos; não porque eles não queiram, mas porque muitos pais não têm padrões morais absolutos nem para si mesmos, quem dirá para seus filhos.

Todos os pais precisam entender que felicidade tem a ver com fazer as escolhas (morais) certas na vida. Se quiser ver seu filho feliz e se quiser que ele seja um adulto equilibrado, lembre-se de ensinar (e praticar) valores seguros. Agora, insisto numa coisa. Você não pode dar ao seu filho algo que você não tem. Se você não conhece nenhum "sistema de valores" seguro para a sua vida não será possível que os seus filhos o tenha.

Faço uma sugestão: conheço o melhor sistema de valores do mundo. Ele é 100% seguro e garante adultos saudáveis e felizes. Onde ele está? Está descrito na Bíblia, e é garantido, pois é fruto da ação de Deus para educar os homens no "caminho certo que conduz à Vida". Pense nisso!

Quando você diz ao seu filho: "Isso é certo ou isso é errado!", onde você se baseia para isso? Na sua própria opinião finita acerca das coisas? Na opinião de algum "guru" de carne e osso? No que a televisão ou a revista ensinam? Resumindo a nossa conversa: quem constitui a sua fonte de "valores morais" para você passar ao seu filho? Ou será que você acha que não há certo ou errado e que tudo depende da opinião de cada um (Pós-modernismo). Se for assim, sinto muito!

Então prepare os seus filhos para caminhar sempre sobre o "nada" e depois veja no final da vida o que eles construíram (para eles e para a sociedade)... Você é responsável por construir ou por destruir a vida dos seus filhos... A sua omissão em educá-los é o primeiro passo para a catástrofe...

Luís Eduardo Machado é professor em cursos de pós-graduação MBA na área de Planejamento.

Contato: [email protected]

veja também