Com uma ajudinha do cupido

Com uma ajudinha do cupido

Atualizado: Sexta-feira, 22 Outubro de 2010 as 12:33

Se tem gente que duvida do amor à primeira vista, o que dizer da relação que nasce a partir de um encontro às escuras? Apesar de improvável, a tática de juntar pessoas parecidas funciona tanto para mortais como para ícones. Em 2006, Gisele Bündchen conheceu o jogador de futebol americano Tom Brady por indicação de um amigo. Ele achava que os dois tinham muita coisa em comum. "Esse amigo estava certo", disse a modelo à edição de outubro da revista Vogue Brasil. Gisele e Tom se casaram e já curtem o primeiro filho, Benjamin, que em dezembro fará um ano.

Mensagem para você

Há sete anos, a escritora Lunna Guedes, 29 anos, trabalhava na organização de eventos beneficentes, e uma amiga, também voluntária, vivia insistindo para que ela conhecesse Marco Antônio. No primeiro encontro, durante um evento, uma surpresa: "Quando ela nos apresentou, começamos a conversar e descobrimos que já nos conhecíamos", diverte-se Lunna, que costumava trocar e-mails com Marco sobre os eventos, mesmo sem conhecê-lo pessoalmente. O namoro, no entanto, demorou a engatar. Marco Antônio, 65 anos, achou a pretendente muito nova.

Algum tempo depois, e por insistência da amiga-cupido, ele finalmente criou coragem e ligou para Lunna, mas não a chamou para sair. Marco confessa que não foi só a diferença de idade que atrasou o encontro dos dois. "No começo de 2002, eu ainda estava casado, e esperei a separação", diz o engenheiro e artesão.

Amigos em comum armaram então um encontro numa cantina italiana. No fim do almoço, todos tiveram compromissos "simultâneos e imediatos", e foram embora praticamente ao mesmo tempo, deixando os dois sozinhos. "Bem naturalmente, sabe?", conta Lunna, às gargalhadas.

Quando conheceu a companheira, Marco diz que a primeira coisa que reparou foi no shortinho dela. "Passei uma semana com torcicolo", brinca. Lunna responde: "Sabe quando você olha para uma pessoa e pensa 'é ele!'?". Pela química das risadas com que os dois relembram a história, a amiga fez em bem em apostar no casal.

Ela não queria

A analista de produção Simone Rosa Fior Vilela, 36 anos, já ouvia falar de Daniel há tempos, por meio de uma colega de trabalho, Camila de Oliveira. Daniel é amigo de infância de Rodrigo, na época namorado de Camila, que cismou de transformar os amigos em casal.

Foram três anos tentando apresentar os dois, e nunca dava certo. A cada evento, de festinhas de aniversário a reuniões no bar, um dos dois não aparecia. Até que Camila chamou Simone e mais duas amigas para um show dos Paralamas do Sucesso. Sem saber, o namorado de Camila chamou Daniel e mais dois amigos para o mesmo programa. E dessa vez, finalmente, eles se encontraram.

Daniel Vilela se apaixonou imediatamente por Simone. "Quando eu o vi, não me interessei", confessa ela. Mas ele não se intimidou e roubou o primeiro beijo. Simone se irritava a cada minuto com o grude. "Para completar minha insatisfação, ele beliscou o meu bumbum. Fiquei furiosa. Ele insiste até hoje em dizer que foi isso que selou a nossa união", conta.

Foram semanas de Daniel ligando, com o apoio oculto do casal de amigos em comum, e Simone saindo com ele, não muito empolgada. Depois de tomar um cano da moça, Daniel ficou chateado e mandou um e-mail, avisando que estava de viagem marcada para a Europa e que passaria algum tempo fora. Simone se arrependeu do sumiço e escreveu pedindo desculpas. "Minha mãe disse que eu poderia estar perdendo a chance da minha vida." Foi o chacoalhão que ela precisava.

Simone acabou levando Daniel para o aeroporto e, na volta da viagem, já estavam namorando. "Achei que ele ia me esquecer. Mas que nada! Passou o mês inteiro me escrevendo", lembra. Três anos depois, casaram. Agora curtem a filha, de um ano e meio. "É a cara dele", Simone derrete-se. "Ele é meu número, a Camila estava certa." Os dois casais continuam saindo juntos – o namoro de Camila com Rodrigo, o amigo de infância de Daniel, também virou casamento. "Eu tenho uma dívida eterna com ela", diz Simone sobre a amiga.

Cupido atrapalhado

Se Henrique tinha certeza que Luciano e Gabriela dariam um belo casal, ele quase conseguiu fazer com que os dois não se conhecessem nunca. Depois de meses pilhando o encontro, Gabriela, que trabalhava com Henrique, topou o blind date.

Luciano Del Santo, 36 anos, passou quase uma hora no bar combinado esperando por Gabriela, que aliás, já tinha chegado ao local, mas esperava por Henrique, que promoveria a apresentação. "Eu estava esperando há quase uma hora, e liguei para o Henrique". O amigo estava muito atrasado e tentou resolver tudo por telefone mesmo. Deu certo. Luciano se armou de cara de pau e foi atrás. "Me apresentei para ela, que ficou roxa de vergonha. Pegamos uma mesinha, ficamos conversando", diz. Quando Henrique chegou, eles brincaram que não precisava mais, que o amigo podia voltar para casa. "Achei ela bonita e me interessei. Ela era exatamente como ele tinha falado", diz Luciano, confirmando o poder de um cupido talentoso.

O primeiro encontro foi numa quarta-feira; o segundo, na sexta-feira seguinte. "Depois desse dia, não nos desgrudamos mais". Em 2006, dois anos após o primeiro encontro, Luciano e Gabriela se casaram, e perdoaram Henrique pelo atraso no barzinho.

veja também