Como deixar um imóvel alugado mais "seu"?

Como deixar um imóvel alugado mais "seu"?

Atualizado: Quarta-feira, 5 Maio de 2010 as 11:44

Quando dou dicas de reforma e decoração, o foco é sempre em quem mora em uma casa própria. Nessa lógica, todas as benfeitorias agregam valor ao imóvel e você não gasta dinheiro à toa.

Mas muita gente mora em casa ou apartamento alugado. Pensando nessas pessoas, resolvi dar algumas dicas espertas para deixar um imóvel alugado mais gostoso e com a cara do inquilino.

As luminárias de apartamentos alugados nem sempre são as mais bacanas. O que não falta são arandelas cafonas espalhadas pelo imóvel. Nesse caso, vale a pena trocá-las. O resultado é surpreendente. E você ainda pode levar embora quando tiver que entregar o imóvel.

Geralmente os apartamentos têm mais pontos de luz do que o necessário. Por que não arrancar as luminárias em excesso e guardá-las para a devolução do imóvel? No lugar, coloque plaquinhas cegas e brancas. O ambiente fica mais limpo e harmônico.

Troque as lâmpadas frias (odeio quando uma casa só tem luz fria) por luz quente. Isto significa tirar todas as lâmpadas brancas e substituí-las por amarelas. E fique atento quanto à intensidade luminosa. Sua casa não é um campo de futebol ou set de filmagem. Logo, prefira um ambiente não tão claro (e mais acolhedor). Já perceberam que eu gosto da escuridão, né?

Cor é muito pessoal. E inquilinos e proprietários costumam divergir bastante. Você não precisa conviver com o azul bebê que o dono do imóvel resolveu colocar na sala de jantar. Nem com o verde água na cabeceira da cama. Se a situação for essa, não hesite em pintar. Se a grana estiver curta, compre as tintas e pinte você mesmo. Faz toda a diferença!

Se possível, tente entrar no imóvel ainda sem a nova pintura. É muito melhor receber o apartamento com a pintura antiga, do ex-inquilino, e você escolher as cores da sua casa. Coloque no contrato que você recebe sem pintar e entrega sem pintar. Bem mais inteligente...

Se você mora de aluguel porque ainda não juntou dinheiro suficiente para a aquisição de um imóvel, invista em design. Se a casa não é própria, pelo menos ela pode ser bonita!

Boas peças de mobiliário têm o poder de esconder acabamentos feiosos. Elas captam a atenção das pessoas. Não é porque seu piso é feio que o sofá também precisa ser. Aliás, se seu piso for horroroso, compre um grande tapete e tente escondê-lo ao máximo.

Se a casa tiver um jardim ou um pátio externo, use e abuse de vasos. Depois do vencimento do contrato, basta colocá-los no caminhão de mudança.

Trocar armários velhos faz bem a qualquer imóvel. Tente negociar um desconto com o proprietário e providencie a reforma com seu marceneiro. Mesmo se ele for duro na negociação, às vezes é o caso de trocar, sim. Faça contas (do quanto você paga de aluguel e quanto tempo pretende ficar no imóvel) e veja se vale a pena.

Geralmente, o que está pior em um imóvel são as áreas molhadas. Revestimentos de banheiros e cozinhas antigos tendem a ser um desastre. Pintar azulejos (com uma tinta especial para esta finalidade) pode não ser uma má ideia. Converse com seu locador.

Outra dica boa é a troca do vidro do box. Deixa o banheiro novo com pouco dinheiro. E se você ainda quiser levar embora, é só desparafusar.

Paredes com revestimento de gosto duvidoso são um problema. Especialmente quando o proprietário morava antes no imóvel e o aplicou com todo o capricho do mundo. Ele tem apego sentimental à "obra de arte" e não vai deixar você removê-la. Uma paredinha de drywall pode ser uma solução para escondê-la.

Se você é proprietário de um imóvel, cuide da manutenção e respeite o inquilino. O ideal é usar acabamentos neutros e fazer reparos periódicos para não deixar o imóvel caído.

Banheiros e cozinha devem ser reformados a cada 20 anos, no máximo. Um piso de madeira precisa de raspagem e tratamento a cada cinco anos. Deixando tudo em ordem, o valor do aluguel aumenta e você ainda zela pelo seu patrimônio.

Marcel Steiner - designer de interiores e mestre em história e crítica da arquitetura pela Faculdade de Arquitetura e Urbanismo da USP

veja também