Como escolher a roupa de madrinha de casamento?

Como escolher a roupa de madrinha de casamento?

Atualizado: Quinta-feira, 4 Fevereiro de 2010 as 12

Receber um convite para ser madrinha de casamento é uma honra que rapidamente vira pânico. Ao "puxa, que bacana, obrigada pelo convite" segue-se quase que imediatamente um "ai, meu Deus, e agora, com que roupa eu vou?".

O casamento é, certamente, a festa que mais gera dúvidas sobre trajes. Das noivas às damas de honra, passando por padrinhos, madrinhas, mães, sogras e convidados, todo mundo tem alguma insegurança na hora de escolher o que vestir para acompanhar a cerimônia.

Alguns fatores devem ser considerados antes de escolher o modelito. Qual será o horário do casório? E a religião dos noivos? A estação do ano, o local da cerimônia e, claro, seu peso e altura, são também determinantes na hora de decidir que tipo de vestimenta selecionar para a ocasião.

"Depois das 20h, é preciso usar vestidos abaixo dos joelhos, mas não precisa obrigatoriamente ser longo. Se for uma menina de 18 anos, talvez ela fique melhor com um longuete", ensina Antônio Viella, do ateliê de noivas Viella Bernardes (R. Haddock Lobo, 9, Tel.: 11- 3219-0675).

Para os homens, a melhor saída é fechar com uma loja de aluguel de trajes, fechar com o meio fraque, e pedir para todos eles (padrinhos, pai do noivo e pai da noiva) irem provar seus modelos. "Homem tudo bem dar uma enquadrada. Mas é muito chato impor uma cor para a mulher, não é elegante", diz Viella, que costuma orientar suas noivas para que deixem as madrinhas à vontade.

Mas atenção:casamento não é baile, nem formatura. Não tem nada pior do que a madrinha 'piriguete', que abre fendas por todos os lados, decotes absurdos, pois ela acredita que vai ter de sair casada do casamento da amiga! E faz de tudo para chamar a atenção. Menos é mais também na hora de selecionar uma roupa para casar alguém. Decotes, transparências e fendas são itens que precisam de um cuidado extra. Qualquer exagero pode causar um imenso constrangimento no altar.

Mãe de noiva e sogra costumam também duelar pelos holofotes na festa. Por isso, Viella decidiu que caso esteja fazendo o vestido de uma, não faz o da outra. "Senão vira concorrência, uma quer mais brilho do que a outra, e acaba causando problema."

Uma forma de escolher

Na Expo Noivas, mais de 100 empresas ajudam a organizar a festa de casamento sem errar é ir por eliminação. Preto, marrom, branco ou tons claros, que lembrem o vestido da noiva, estão vetados. Casamentos realizados de manhã aceitam vestidos de tecidos e tons pastéis, como o azul-claro, salmão, verde-piscina, lilás ou rosa. Chapéu é um item em desuso, a menos que a noiva decida impor esse acessório para todo mundo. O ideal é usar uma maquiagem suave e sem brilho. Bijuteria pode, sandália de salto médio também, e, dependendo do local (sítio, por exemplo), é bom se certificar do terreno, para não ficar bambeando nos paralelepípedos ou afundando na lama.

Casamentos no fim da tarde já permitem cores mais intensas, como vinho, bordô, verde, uva e azul. Longuetes caem bem para o horário, e, dependendo da idade da madrinha, até um coquetel dress pode ser usado. Os longos também são aceitos, uma vez que a festa vai seguir noite adentro. Sapatos e maquiagem podem acompanhar os tons do vestido, sem histeria.

Para festas à noite, os brilhos estão liberados, sem esquecer que quem deve aparecer é a noiva. Para não virar assunto no dia seguinte (às vezes até durante a festa!), o ideal é deixar os brilhos para as jóias, para os tecidos e para os pés. Os modelos podem ser mais contidos. Informação demais é o caminho mais curto para dar errado. Laços, bordados, rendas, decotes e fendas podem aparecer, mas um de cada vez, certo?

A estação do ano determina boa parte da escolha. A maior parte dos vestidos de festa são sem mangas, de alças ou tomaras-que-caia. Uma echarpe ou xale ajudam a reduzir o impacto dos decotes e ainda aquecem, sem que seja preciso recorrer a um casaco. A menos, claro, que sua amiga seja chique, phyna e elegante, e vá se casar com algum gringo bacana no inverno europeu. Aí é outra história, né?

Para quem vai casar por aqui mesmo, uma boa dica para encontrar tudo o que é preciso para conceber uma festa de casamento é a Expo Noivas & Festas, que começa hoje (4/2), em São Paulo. A feira apresenta todas as tendências de serviços e produtos para o segmento, desde os convites até a lua-de-mel. São mais de 110 empresas concentradas no Centro de Exposições Imigrantes até o dia 7 (domingo).

Lá, noivas e madrinhas podem encontrar vestidos tradiicionais, e outros nem tanto. Estandes de alta costura também trazem novidades, apesar da preferência das noivas ainda ser o tradicional tomara-que-caia na cor branca e longo com cauda. É possível optar por modelos curtos, coloridos, jeans, sensuais e ousados.Os ingressos para a feria custam R$ 10 (maiores de 60 anos pagam meia e crianças até 10 anos não pagam).

Dicas preciosas para noivas

O preferido: Tomara-que-caia branco, longo e com cauda é o modelo mais procurado pelas noivas, mas o designer Antônio Viella alerta: tem de ter um colo bonito e altura. "Se a noiva é mais baixa, a altura que o vestido sai, de cima do busto, deixa a silhueta ainda menor, achata ainda mais. Se tem uma alça, alonga o corpo."

Quadril largo? Linha A nelas! O vestido justo só vale se a noiva tiver um corpo escultural e realmente estiver a fim de esbanjar sensualidade no altar, o que nem sempre é o caso. Para as mais cheinhas, o truque ideal é fazer um vestido godê simples, um evasé em A, que alivia o quadril. O godê duplo, com saião, só vale se a mulher for alta e magra. Caso contrário, ela ficará ainda mais rechonchuda.

Mas casamento é sonho. E se o desejo da noiva for virar a Cinderela no dia dela... ela tem mais é que aproveitar a excelente desculpa que é a cerimônia para realizar o seu desejo. Mais vale um gosto e um sorriso no rosto do que qualquer regra de estilo nessa hora!

veja também