Como falar da violência aos filhos

Como falar da violência aos filhos

Atualizado: Segunda-feira, 9 Junho de 2008 as 12

A violência é um assunto em pauta tanto nas mídias quanto nas conversas entre amigos. É um problema que vem atingindo muito o Rio de Janeiro e assusta moradores e visitantes. A situação piora quando se tem filho em fase de conquista da "liberdade", ou seja, quando começa a querer sair de casa sozinho. O que fazer numa situação dessas?

Os pais normalmente ficam receosos e amedrontados com a situação. Os filhos pequenos, por sua vez, ficam assustados com a quantidade de atrocidades que chegam ao seu conhecimento. Já os maiores têm a sensação de onipotência.

De acordo com o psicólogo Mário Vieira Serra, o ideal é ter uma conversa franca com os filhos, de acordo com a idade; explicar que vivemos um problema que não é natural e alertá-los sobre os riscos.

"Para os criminosos, não importa estar vivo ou não. Toda essa violência é uma doença que tem uma origem primitiva. A sociedade de uma maneira geral não tem recursos para sustentar nem admitir isso", acredita o psicólogo.

A hora certa para deixar os filhos saírem de casa sozinho só os pais podem dizer, pois depende do amadurecimento da criança e da relação com a família.

"Em termos de tempo cronológico, depende de como a criança foi criada, se a família estabeleceu uma relação de confiança. Os próprios pais vão sentir se o adolescente está pronto para enfrentar o mundo ou se ainda precisa de um preparo maior. Porém, por outro lado, se vê a importância do contato social desse adolescente, para que ele mesmo possa conhecer o mundo e enfrentar os problemas por conta própria", ensina.

Mário acredita que as dicas que as mães devem dar a seus filhos para que eles não se sintam superprotegidos e ao mesmo tempo atentos é: "As pessoas têm que ser sinceras e expor a realidade. E isso também deve acontecer entre pais e filhos. Os pais precisam impor limites aos filhos, mas ao mesmo tempo dar a chance para o filho mostrar a sua individualidade", conclui.

 

veja também