Como lidar com as diferenças no início do casamento

Como lidar com as diferenças no início do casamento

Atualizado: Sexta-feira, 16 Janeiro de 2009 as 12

O casamento é uma decisão muito importante na vida do casal. Para dar esse passo, é preciso ter certeza da benção divina para esta união. Harmonia, compreensão, companheirismo, paciência e, principalmente, muito amor não podem faltar no lar.

De acordo com a psicóloga Eliana Maldonado, o grande desafio de se viver a dois, muitas vezes, é o fato de que, no namoro e no noivado, as pessoas não se conhecem da forma que deveriam, ou seja, nem sempre se atentam aos detalhes que o outro demonstra nestas fases anteriores ao casamento. "A convivência diária vai mostrando as diferenças de personalidade, hábitos, comportamentos, tradições e valores. Às vezes, o outro não corresponde às expectativas, à idealização do companheiro que é feita no período do namoro, e à aceitação na diferença de pensar ou agir de cada um, o que pode ser um fator de dificuldade no início da vida a dois. Para lidar bem com essas diferenças, é preciso que cada um respeite o outro", ressalta.

Para a psicóloga, ceder é fundamental, desde que não interfira nos valores básicos da vida. "Em todas as fases do casamento, o diálogo é de vital importância. É através dele que são colocadas as dúvidas, as inseguranças e as divergências que podem afetar o relacionamento, assim como aparar as arestas, e, mais importante, saber o que o outro pensa e mostrar como se pensa para juntos achar alternativas para transpor as dificuldades que envolvam o casamento", explica.

É importante ressaltar que nesta fase podem ocorrer alguns desentendimentos, já que o casal está passando por uma fase de adaptação. "Entretanto, é preciso que o assunto seja debatido e esclarecido sempre que houver discórdia, mas com muito respeito para enriquecer a relação", afirma a especialista.

Eliana também acredita que brigar muito não é saudável para a relação como muitos casais pensam. "Divergir nas opiniões e encontrar um ponto de entendimento é o que deveria ser considerado normal", finaliza.

veja também