Como resolver brigas e discussões na justiça

Como resolver brigas e discussões na justiça

Atualizado: Terça-feira, 26 Abril de 2011 as 11:40

Batida de trânsito Os casos mais complicados são aqueles nos quais o culpado não admite a responsabilidade. Por isso, é importante registrar o acontecido. Use o celular para fotografar a cena do acidente - esse material servirá como prova se o ocorrido virar ação judicial. Não se esqueça também de fazer um boletim de ocorrência, acionar a seguradora do carro (caso tenha) e jamais mentir sobre as circunstâncias da batida. Se for algo sério, que tenha causado lesões graves, afastamento do trabalho ou até morte, vale entrar com uma ação por danos morais e materiais.     Ofensas pessoais A conversa realmente é o melhor caminho para resolver um aborrecimento desses. Principalmente porque agressões verbais dificilmente são provadas na Justiça, pois se torna difícil definir quem está certo ou errado apenas com base em testemunhas. Mas, se as ofensas foram feitas pela internet, a coisa muda de figura! E-mails, blogs, bate-papo ou até o Orkut são as próprias provas materiais. Por isso, imprima ou salve no computador as imagens e textos comprovadores do abuso (use a tecla Print Screen para tirar uma cópia do que aparece na tela do computador).   Briga pela guarda dos filhos ou por pensão Quando o casal não chega a um acordo para saber com quem ficará a criança ou discorda sobre o valor da pensão, a saída é partir para a separação litigiosa. Dessa maneira, os dois têm de requerer advogados para defenderem os interesses de cada um no processo que corre na Vara de Família. Quem ganhar a guarda da criança recebe a pensão alimentícia a ser definida pelo juiz. Ele estipula o valor de acordo com a necessidade do herdeiro e com a possibilidade financeira de quem a paga.     Agressão entre homem e mulher Essa você já sabe, mas convém repetir: quando um homem bate numa mulher, não há outra atitude a ser tomada além de denunciar. Sempre! A vítima deve fazer um registro da ocorrência na Delegacia da Mulher. De lá, ela será encaminhada para o exame de corpo de delito, o qual confirmará o que aconteceu. Infelizmente, muitas mulheres acabam retirando a queixa porque são dependentes dos maridos ou porque ficam com pena deles. Isso é um erro - na maioria das vezes, o agressor repete a violência.     Discussão entre vizinhos Som alto, latidos de cachorro, infiltração do outro apartamento invadindo o seu, festa até altas horas... São muitos os motivos capazes de desencadear uma discussão com quem mora perto. Se você já tentou resolver o problema na conversa mas a solução conciliadora não funcionou, o jeito é ir mesmo ao Juizado Especial Cível (que atende ações de até 20 salários mínimos). Para isso, torna-se essencial a reunião de provas - como uma gravação sonora, um vídeo ou até depoimentos de testemunhas.    

veja também