Companheirismo no relacionamento a dois

Companheirismo no relacionamento a dois

Atualizado: Quarta-feira, 29 Junho de 2011 as 9:13

De que adianta ficar ao lado se não for para estar junto em todos os momentos?

Você é realmente companheiro do seu amado ou da sua amada? “Estar ao lado é fácil, o mais difícil é permanecer junto e presente em qualquer momento e circunstância. Isso porque, atualmente, vivemos em um mundo em que o individualismo prevalece”, comenta a psicóloga Adriana Lopes Panegni.

Segundo ela, para ser companheiro de alguém não basta apenas estar presente, mas, estar junto. “Saber ouvir e entender a hora certa de falar, compreender e compartilhar as situações diversas do cotidiano e da vida é fundamental”. Além disso, ela destaca que não querer dominar a outra pessoa é aceitar e respeitar as diferenças.

“Hoje em dia, a palavra ‘companheiro’ até parece ser ultrapassada. Antigamente, as pessoas se referiam ao parceiro chamando-o dessa forma. Para obter um relacionamento sólido é preciso fazer com que o companheirismo torne-se um dos pilares da união, assim como necessitamos da presença do amor. A pessoa tem que se sentir segura e acolhida”, alerta Adriana.

Para a psicóloga Liliane Cavaliri, quando se é companheiro verdadeiramente do parceiro é possível compreender o que pode ser feito, em qualquer momento, para agradá-lo e fazer com que a pessoa se sinta alguém melhor. Além disso, é preciso estar disposto a compreender o outro.

Uma história jovem

“Ser companheiro não é estar presente somente de corpo, mas saber entender o que o outro precisa, mesmo quando o outro nada pede. É saber interpretar um olhar, um silêncio, o tom de voz ou qualquer outro jeito. É acompanhar, acrescentar, ensinar e aprender, a cada dia, sempre”, comenta a jornalista Mayra Monteiro, de 27 anos, noiva há 1 ano e 4 meses do gerente administrativo Luiz Alves, de 30 anos (os dois na foto ao lado).

Segundo Mayra, para ser melhor a cada dia no relacionamento e mantê-lo feliz e com bases firmes, ela procura não ser sempre a mesma. “Quero surpreender, seja com uma ligação no meio da madrugada ou uma mensagem de amor ao longo do dia”, sorri.

Para Luiz, companheirismo é ser amigo, sincero – doa a quem doer –, cúmplice. “É saber ceder, ser fiel, gostar de estar junto nas horas boas e difíceis, saber ouvir tanto o sim quanto o não. Para ser o melhor a cada dia não podemos nos acomodar, achando que o que se conquistou já é nosso e ninguém mais tira de você. Pelo contrário, conquistar uma vez é muito fácil, o complicado é conquistar a mesma pessoa todos os dias”, finaliza.    

veja também