Computador pode levar a prejuízos no aprendizado infantil

Computador pode levar a prejuízos no aprendizado infantil

Atualizado: Quarta-feira, 23 Junho de 2010 as 3:02

Segundo um novo estudo realizado por pesquisadores da Sanford Duke University's School of Public Policy, nos Estados Unidos, ter um computador em casa, faz com que as crianças tenham rendimento menor na escola, em especial os de famílias menos favorecidas.

Os professores Jacob Vigdor e Helen Ladd analisaram relatos de 150 mil estudantes por cinco anos. Estes falaram sobre a frequência com que usam um computador em casa para estudar, vêem televisão ou lêem por hobby.

Os dados permitiram aos pesquisadores comparar a leitura e os hábitos de estudo das crianças antes e depois de terem adquirido um computador em casa, e comparar com estudantes que nunca tiveram computador em casa. "Adultos podem pensar na informática como uma ferramenta de produtividade, em primeiro lugar, mas nosso estudo contraria isso, pois crianças das classes médias estão, na sua maioria, usando computadores para ficar nas redes sociais e jogar", explica Vigdor.

Os pesquisadores concluíram que os computadores domésticos eram melhor utilizados em famílias nas quais o acompanhamento dos pais é mais efetivo. Nas famílias mais ausentes, os pais monitoram menos o uso de computador e não orientam corretamente seu uso para fins educacionais.  

A pesquisa sugere que os programas para expandir o acesso ao computador em casa levariam a falhas ainda maiores entre os resultados dos testes. Vários estados têm desenvolvido programas de distribuição de computadores aos estudantes nos Estados Unidos.

A psicóloga e psicanalista Claudia Finamore explica que a rapidez da comunicação e a facilidade de acesso a tanto conteúdo da Internet chama a atenção da garotada. "É tudo instantâneo, bem adequado a impaciência dos jovens", afirma. Porém, abusar no uso da internet pode isolar a criança e estimular a timidez, além de deixar de lado a oportunidade de passar tempo com outras crianças e adolescentes da mesma idade. De acordo com a especialista, o quadro se torna preocupante quando outras atividades são prejudicadas.  

veja também