Conselho para decisões financeiras II

Conselho para decisões financeiras II

Atualizado: Terça-feira, 20 Outubro de 2009 as 12

Onde devemos buscar conselhos para nossas decisões quanto ao uso do dinheiro? Bíblia

Em Salmos 119.98-100, temos a seguinte declaração:

Os teus mandamentos me tornam mais sábio que os meus inimigos, porquanto estão sempre comigo. Tenho mais discernimento que todos os meus mestres, pois medito nos teus testemunhos. Tenho mais entendimento que os anciãos, pois obedeço aos teus preceitos.

A Bíblia é, por excelência, a Palavra de Deus, e através de seus conselhos infalíveis podemos nortear nossas decisões de maneira aprovada por Deus. Portanto, se há diretrizes claras na Bíblia quanto à questões financeiras, elas devem ser seguidas. É impressionante notar como a Palavra de Deus pode nos dar mais discernimento que nossos mestres e mais entendimento que pessoas de idade mais avançada.

Como conseqüência, nossa busca por conselho nos leva ao próprio Deus. O sábio nos diz: "Pois o SENHOR é quem dá sabedoria; de sua boca procedem o conhecimento e o discernimento. Ele reserva a sensatez para o justo; como um escudo protege quem anda com integridade," (Pv 2.6-7). Esta idéia é reiterada por Tiago quando declara: "Se algum de vocês tem falta de sabedoria, peça-a a Deus, que a todos dá livremente, de boa vontade; e lhe será concedida."(Tg 1.5). Portanto nossa intimidade com Deus, através do conhecimento de sua Palavra e uma vida de oração são elementos essenciais para a tomada de decisões quanto à administração do dinheiro.

Pessoas Qualificadas

Provérbios nos aconselha a procurar pessoas qualificadas para busca de orientação segura e pautada nas diretrizes bíblicas: "Os planos fracassam por falta de conselho, mas são bem-sucedidos quando há muitos conselheiros." (15.22). Isto parece ser bem razoável, pois Deus propiciou pessoas com as mais diversas qualificações, talentos e dons para que possamos nos aconselhar. Neste ponto é importante entender que o conselheiro deve possuir uma vida piedosa, ou seja, buscar constantemente uma intimidade com Deus, ao mesmo tempo que conhece os princípios bíblicos sobre gerenciamento do dinheiro e ainda é desejável que tenha conhecimento prático na área de finanças.

Para os que são casados, deve-se buscar sempre o conselho do seu cônjuge, visto que o casamento os uniu definitivamente. Logo, as decisões no âmbito familiar devem ser tomadas em conjunto, com a aprovação do marido e da mulher. Este processo, além de exigir oração e conhecimento da Palavra, demanda uma ampla discussão pelo casal das possíveis conseqüências das decisões que serão tomadas.

Os pais também são uma possível fonte para aconselhamento. A Bíblia nos exorta a honrá-los e, eles são pessoas, em princípio, confiáveis, pois desejam o nosso bem. No entanto, há que se tomar cuidado quanto a possíveis divergências de opinião entre pais e cônjuges ou quando em está em jogo bens pertencentes à família. É sempre bom lembrar que as fontes de aconselhamento não decidem, apenas aconselham. A decisão final sempre será daquele que toma conselho. Ele deverá pesar os prós e contras e submeter a Deus sua decisão em oração.

A Bíblia nos exorta a evitar o conselho do ímpio: "Como é feliz aquele que não segue o conselho dos ímpios,..." (Sl 1.1). Portanto devemos ser bastante criteriosos quando nos aconselharmos com uma pessoa que reconhecidamente não tem uma relacionamento com Deus. É possível fazermos uma consulta, até porque ela pode envolver elementos técnicos que sejam objeto do conhecimento desta pessoa. Mas a decisão final deve envolver pessoas nitidamente qualificadas nos outros aspectos acima mencionados.

E desejável evitarmos o conselho de pessoas que serão de alguma forma beneficiadas com nossa decisão, pois elas provavelmente serão tendenciosas em seus conselhos. Por exemplo, se necessitamos comprar um carro, devemos evitar o conselho de um vendedor, pois tenderá a argumentar a favor da compra. A consulta a pessoas independentes será mais apropriada, pois não guarda relação com eventuais ganhos financeiros ou de outra ordem.

Paulo de Tarso é engenheiro civil e mestre em teologia. É o idealizador e organizador do Site, Palestra e Seminário Finanças para a Vida e do Projeto Educação Financeira para Todos ([email protected])

veja também