Consequências de uma paixão

Consequências de uma paixão

Atualizado: Terça-feira, 28 Julho de 2009 as 12

Viver uma paixão é ser escravo incondicional do ego. Quem já viveu esse sentimento conhece, pelo menos um pouco, o que vem a ser desequilíbrio e loucura. A paixão é um desejo incontrolável, ao qual o corpo e a mente obedecem cegamente, sem questionar praticamente nada. É um sentimento altamente egoísta e perigoso.

Uma pessoa guiada pela paixão não considera os sentimentos do outro. Suas atitudes são impensadas e, em sua grande maioria, causam danos irreversíveis ao próximo, pois sua mente está voltada sempre para a realização dos seus próprios desejos.

Paixão é sinônimo de infelicidade, pois sempre termina em decepção, contrariando a ilusão do início do relacionamento. Pessoas apaixonadas perdem a razão e a força de lutar contra aquilo que não é bom. A rotina de uma pessoa apaixonada muda drasticamente, pois sua vida se torna uma bagunça. É o sentimento quem manda e domina.

Embora o casal esteja sempre junto, há uma ansiedade natural que gera insegurança; por essa razão a visão de futuro se torna limitada.

A Bíblia relata um caso de paixão, em que Sansão, um juiz, se apaixona por uma mulher chamada Dalila. Sansão era célebre pela sua força física, mas se deixou levar pelo sentimento da paixão. Recusou-se a escutar seus próprios pais e acabou sendo traído por Dalila, que o entregou aos inimigos. Como consequência disso, teve seus olhos vazados e foi feito escravo. A história se encontra no livro de Juízes 13:24.

Ora, as bênçãos do Senhor não vêm acrescentadas de dores. Muitas pessoas têm se precipitado em relacionamentos que nunca deveriam ter acontecido. A paixão gera no organismo uma ansiedade gigante, que é um sentimento de apreensão desagradável. Ela provoca mal-estar no estômago, opressão no peito, palpitações, transpiração, dor de cabeça, falta de ar, entre outras várias sensações.

Deus orienta o seu povo a lançar sobre Ele toda a ansiedade, porque Ele tem cuidado de todos (I Pedro 5:7). Jesus disse: "Não se turbe o vosso coração. Credes em Deus, crede também em mim". (João 14:1)

"Não andeis ansiosos de coisa alguma; em tudo, porém, sejam conhecidas, diante de Deus, as vossas petições, pela oração e pela súplica, com ações de graças" (Filipenses 4:6).

Postado por: Felipe Pinheiro

veja também