Criando filhos sozinha

Criando filhos sozinha

Atualizado: Quarta-feira, 12 Março de 2008 as 12

Uma das maiores realizações na vida de uma mulher é ser mãe, mas ocupar as funções materna e paterna ao mesmo tempo não é nada fácil. Muitas assumem essa responsabilidade por serem solteiras, divorciadas ou viúvas, e todas têm um único objetivo: criar um cidadão responsável.

De acordo com a psicóloga Luzia Pacheco, a mulher que assume essa responsabilidade tem que ter em mente que encontrará algumas dificuldades. "Ser mãe nem sempre é um mar de rosas, ainda mais quando não se tem o apoio da figura paterna e uma vida financeira estabilizada."

Para a psicóloga, apesar de muitas mulheres conseguirem criar os filhos sozinha, o ideal é buscar um planejamento familiar. "Isso serve para todos os setores da vida. Tudo que é planejado tem mais chance de dar certo."

É preciso coragem

O caso de Maria de Lourdes retrata o de muitas mulheres: abdicou de muitas coisas para ser mãe. Ela teve a primeira filha aos 18 anos e foi abandonada pelo marido aos 23 anos. Com dois filhos para criar e sem apoio da família, ela teve que se virar sozinha. "No começo foi muito complicado. Minha primeira filha, Maria Lúcia, tinha 5 anos e a segunda, Ana Luiza, 3 anos, e ambas eram muito dependentes de mim”, conta.

Lourdes não recebia pensão alimentícia do marido e passou a viver de favor dos vizinhos. "Sentia medo e culpa. Tive vergonha da minha própria família."

Como ela já tinha concluído o curso de Direito, enfrentou todos os obstáculos e decidiu estudar, tentou um concurso público e foi aprovada. Foi então que as coisas começaram a melhorar.

Já trabalhando, Lourdes conseguiu melhorar de vida e dar uma educação digna para suas filhas. "Minha vida não era um mar de rosas, mas sabia que oferecendo uma boa educação, minhas filhas teriam perspectiva de futuro."

Com muito orgulho da criação dada às suas filhas, Lourdes conta que elas conseguiram concluir o ensino superior. A mais nova seguiu seus passos e cursou Direito. A mais velha se formou em Jornalismo e atualmente faz mestrado.

"Não é fácil criar duas filhas sozinhas sem a ajuda do pai e da família, mas coragem nunca me faltou; sabia que minhas filhas me dariam muitas alegrias”, conclui.

veja também