De que forma o estresse afeta a sua vida?

De que forma o estresse afeta a sua vida?

Atualizado: Segunda-feira, 10 Outubro de 2011 as 7:27

A vida anda mais corrida a cada dia e isso vai tornando mais difícil a tarefa de organizar o tempo para dar conta dos cuidados com casa, trabalho, marido e filhos. Entretanto, toda mulher sabe que é impossível manter a beleza e o brilho no olhar quando se está de mau humor, não é verdade? Por isso, manter o estresse sob controle é fundamental para não afastar as pessoas e evitar que os problemas se tornem ainda mais sérios.

Segundo a psicóloga Thelma Mary Araújo de Oliveira, através de uma simples avaliação já é possível perceber se o estresse está afetando a saúde física e mental de alguma forma.

“Se o índice estiver muito elevado, pode causar prejuízos severos, como provocar doenças e patologias mentais, neurose e problemas de concentração. É preciso avaliar a necessidade de reorganizar algum aspecto que não está bem. Assim, é possível perceber até se uma pessoa que apresenta problemas de estômago ou sono excessivo não precisa avaliar primeiro seus níveis de estresse”, aponta.

Thelma revela que a indicação para esses casos pode ser desde o controle da alimentação e a prática de exercícios físicos até a psicoterapia. “A adrenalina vai aumentar os níveis hormonais, causando muita tensão para o indivíduo. Por isso, é necessário regular esses níveis; até porque a vida é composta de muito estresse, agitação e demanda de trabalho. A partir do momento em que você tem consciência desse nível, já pode aprender a lidar com ele”, observa.

Pé no freio

Apesar de fazer parte da rotina, a ansiedade e o nervosismo excessivos não devem ser ignorados, afinal, as consequências do estresse podem ser devastadoras para a vida pessoal e profissional. Com o objetivo de evitar o desenvolvimento de doenças mais graves, a psicóloga ressalta a necessidade de atuação no aspecto preventivo e defende a importância de não se negar os indícios de que o indivíduo precisa de ajuda especializada.

“Geralmente, quando recebem a notícia de que o estresse está prejudicando suas vidas, as pessoas ficam bem assustadas. Algumas até se recusam a fazer uma avaliação, porque já sabem do que estão sofrendo, mas não aceitam que esse nível possa estar tão alto. Por isso, existe toda uma técnica para conversar com a pessoa de forma harmoniosa, demonstrando acolhimento”, afirma.

Aprender a lidar com o estresse é o primeiro passo para controlar os ímpetos negativos e organizar prioridades. “Quando o corpo não está mais aguentando e a pessoa começa a se sentir obrigada pela demanda de atividades a que se cobra tanto, é preciso trabalhar para que ela aprenda a se controlar e lutar contra a exigência de estar sempre certa, de sempre corresponder às expectativas e vencer”, orienta.

Além de atuar nos sintomas e na resposta corporal consequente de tanta correria, é preciso buscar as causas do estresse para que seja resolvido em sua origem e não volte a causar problemas. Caso contrário, por mais que se apresente de outra forma, vai continuar motivando preocupações excessivas e prejuízos na qualidade de vida do indivíduo.

Thelma aponta algumas características comuns às pessoas muito estressadas, entre elas a ansiedade, considerada pela psicóloga como o grande mal do século, capaz de levar a muitas dificuldades na sociedade atual. “O ansioso vive o amanhã, sem viver o hoje. Isso vai fazer com que ele corra mais, busque mais, e acabe se atropelando, ficando constantemente agitado e levando à retenção de líquido, alterações de pressão e batimentos cardíacos, aumento de glicose e sobrepeso, o que pode causar vários problemas físicos”, alerta.

Alimentação pode combater ansiedade e nervosismo

Para prevenir o estresse e amenizar seus efeitos nocivos à saúde, manter uma dieta saudável pode ser uma boa alternativa. Especialistas indicam alguns alimentos capazes de evitar a irritação excessiva e a ansiedade. De acordo com Leda Moura Pinheiro, membro da diretoria da Associação de Nutrição do Rio de Janeiro (Anerj), estresse e alimentação estariam intimamente relacionados.

De acordo com a nutricionista, os maus hábitos alimentares podem predispor o organismo ao estresse ou ainda agravar os sintomas desse transtorno, que pode ser controlado. Assim, uma alimentação desequilibrada, baseada em frituras, excesso de carboidratos, refrigerantes ricos em cafeína e álcool, aumenta os fatores de estresse e leva a várias patologias.

“Vários nutrientes contribuem para um bom funcionamento do organismo, como, por exemplo, as proteínas, os carboidratos e as chamadas ‘boas gorduras’, além de minerais como o magnésio, que é essencial no combate ao estresse, porque previne o cansaço e as dores musculares”, explica a nutricionista.

A médica recomenda uma dieta personalizada, com base em uma alimentação equilibrada, diversificada e colorida, que associada a exercícios físicos regulares é um dos principais pilares para a prevenção do estresse e garantia de uma vida saudável. Mas para tranquilizar aqueles que ainda acreditam que alimento saudável é sinônimo de “comida sem graça”, a especialista salienta: “A cada dia cresce o interesse tanto do público feminino como do masculino pela gastronomia.” Portanto, com um pouco de imaginação, curiosidade e criatividade, qualquer pessoa pode produzir pratos que, além de lindos, ficam deliciosos.

Agência Unipress Internacional  

veja também