Depressão pós-férias

Depressão pós-férias

Atualizado: Terça-feira, 5 Abril de 2011 as 11:54

PESQUISA REVELA QUE 23% DOS BRASILEIROS SOFREM COM O PROBLEMA. NO CASO DAS MÃES, FICAR LONGE DOS FILHOS E RETOMAR OS AFAZERES DOMÉSTICOS SÃO FATORES QUE CONTRIBUEM PARA O SENTIMENTO

Cerca de 23% dos brasileiros sofrem com a depressão pós-férias. Isso é o que aponta pesquisa realizada pela Isma-BR (Associação de Controle do Estresse no Brasil) realizada neste mês. Fazem parte do grupo mulheres que têm filhos e trabalham dentro e fora de casa.

No caso específico das mães que dispõe de um tempo limitado com os filhos em função do trabalho, a volta à rotina traz uma sensação de culpa. “O término das férias pode gerar um entristecimento grande devido à ausência ou pouco contato familiar, além da culpa que muitas mães apresentam por se sentirem pouco presentes”, explica a psicóloga Andreia Calçada. “Também pesa a retomada dos horários e obrigações e a volta aos afazeres domésticos, mas tudo dependerá da forma como a pessoa interpreta e encara estas questões”.

No entanto, existem exceções: algumas mães se sentem aliviadas com o início do ano letivo das crianças. “Algumas mulheres gostam do retorno às aulas já que manter as crianças em casa por muito tempo – como o período de férias -- também é muito desgastante”, analisa a especialista.

De qualquer forma, existem algumas atividades que podem ser feitas para aliviar essa tristeza e tornar a transição de volta para a rotina mais leve e divertida. Reservar um tempo para brincar com as crianças é uma atitude importante, já que os pequenos passam muito tempo com os pais nas férias e podem sentir falta desse contato. “Nesses momentos é necessário que a mãe esteja inteiramente presente, para desfrutar com qualidade a companhia dos filhos”, afirma a psicóloga. “Manter esse espaço lúdico de brincadeiras ajuda o filho a entender o desejo da mãe de estar com ele, mas também o faz compreender que a mãe precisa trabalhar. Ao explicar isso ao pequeno, ele entenderá --e os sentimentos de culpa da mãe diminuirão, assim como acontecerá com a depressão”, completa. 

veja também