Deus criou o amor. . .

Deus criou o amor. . .

Atualizado: Segunda-feira, 27 Julho de 2009 as 12

De acordo com o livro de Efésios 5:31;32, a relação sexual é um grande mistério. Acredita-se que o que acontece no mundo espiritual quando cônjuges fazem amor é de uma dimensão ainda não conhecida pelo homem. Em Corintios 6.16-17, pode-se entender um pouco mais sobre o assunto. Nessa passagem, fica bastante claro que o relacionamento sexual é o único ato humano que compara a intimidade espiritual entre uma pessoa e Deus.

É bom esclarecer que os prazeres de um relacionamento sexual são privilégio de casados, não de solteiros. Deus é bastante claro quanto a isso.

O homem possui capacidades físicas, mentais e espirituais, porém, nenhuma delas atua sozinha. As três se relacionam de maneira indivisível. O que acontece com o corpo físico afeta o corpo espiritual. Segundo a psicologia, a dor física e a dor psíquica reagem de igual modo. Se o homem é abalado emocionalmente, o seu corpo parece se recusar a obedecer a uma rotina normal. Quando o problema é físico, o homem é emocionalmente abalado. Quando o sexo é considerado apenas como um ato físico, o ser humano se divide, ou seja, deixa de ser ele em seu todo. Essa visão errada é que o leva a um cativeiro espiritual.

Alguns cristãos ainda hoje pecam em achar que as relações sexuais dentro do matrimônio não podem agradar plenamente a Deus e que sexo e vida espiritual não combinam.

A verdade é que nenhum homem pode se dividir para tornar-se um ser exclusivamente físico em uma relação sexual. Sentimentos, emoções, atos físicos, enfim, tudo o que o homem é faz dele uma pessoa indivisível e completa, pois foi assim que Deus o criou.

O sexo, do ponto de vista bíblico, é um dom de Deus dado ao ser humano com três propósitos: o de procriar ("Disse o Senhor: ...Sede fecundos, multiplicai-vos, enchei a terra e sujeitai-a"... (Gênesis 1:28)); o de servir como um veículo de unidade física, mental e espiritual entre marido e mulher ("Por isso deixa o homem pai e mãe, e se une a sua mulher, tornando-se os dois uma só carne"); e para que fosse uma fonte de prazer ("Seja bendito teu manancial, e alegra-te com a mulher da tua mocidade, corça de amores, e gazela graciosa. Saciem-te os seus seios em todo o tempo; e embriaga-te sempre com as suas carícias." (Provérbios 5:18, 19))

O ato sexual é um dos maiores fortalecedores do relacionamento conjugal, pois conserva a intimidade, o amor, o carinho, o respeito e o afeto entre um casal. É improvável um casal realizado que não tenha uma vida sexual feliz. De acordo com vários líderes evangélicos, que trabalham com restauração de casais, o sexo é um forte protetor contra experiências sexuais extraconjugais. A conclusão é que um casal satisfeito sexualmente é menos vulnerável à traição.

Agência Unipress Internacional

Postado por Nany de Castro

veja também