Dicas para donos de gatos e cachorros por uma melhor convivência

Dicas para donos de gatos e cachorros por uma melhor convivência

Atualizado: Segunda-feira, 20 Junho de 2011 as 10:16

Pelo por todo lado?

Vale tudo para fazer seu pet feliz: comprar produtos para limpá-lo, embelezá-lo... Inclusive para não se surpreender ao se deparar com um sofá cheio de pelos – ou mesmo arranhado pelas unhas do bichano. Para evitar a troca precoce de móveis, escolha aqueles que são feitos com tecidos de tramas fechadas, como couro – tanto o sintético quanto o vegetal –, sarjas, brins e tecidos impermeáveis. Eles são fáceis de limpar e mais resistentes aos arranhões ou à escovação para remover pelos. Tecidos muito finos e delicados como a seda devem ser evitados.

Troca de pelagem

Como o Brasil é um país tropical, os gatos perdem pelo em qualquer época do ano. No entanto, o período de queda mais intensa acontece na primavera e no verão. Escove o animal diariamente, principalmente os de pelagem longa ou semilonga – ou ainda, tose-o vez ou outra.

O rei do pedaço

O charme dos cães é algo incontestável. Mas o excesso de mimos pode transformar uma boa companhia em um tiraninho mandão. Desde filhote, seu animal já começa a estabelecer relações de dominância, e mordidas constantes nas mãos e roupas são sinais de que ele está qualificando aqueles que o rodeiam. Separamos quatro dicas para você manter a harmonia com seu mascote e evitar qualquer discussão de relacionamento.

Dicas - Não subestime - Com um mês e meio, o pet já começa a tirar suas impressões do mundo e das pessoas. - Quem ama educa - Como animais de matilha, os cães precisam de autoridade, que vem aos poucos. Quando muito mimado, ele pode acabar infeliz e sem referências. - Castigo não é surra - Controlar comida, brinquedos e atenção ao bicho é mais eficaz do que agredi-lo. - Procure ajuda - Tentar resolver um problema de forma errada pode agravá-lo. Portanto, alguns desvios de comportamento pedem a orientação de um profissional.

RG animal

Um dos pesadelos de quem tem animal de estimação é perdê-lo. Para evitar essa tragédia, existe o Registro Geral dos Animais (RGA), exigido por lei na cidade de São Paulo. O dono cadastra seus dados e os do bicho no Centro de Controle de Zoonoses ou em veterinários credenciados, e ganha uma plaqueta de identificação a ser usada na coleira. Outra solução é o uso de um chip no dorso do bicho, lido por um scanner, encontrado na maioria dos pet centers e em alguns centros de zoonose do País. Fique atento!

 Microchip  

Um pouco maior que um grão de arroz, o implante do chip é indolor e, quando já não vem no filhote, pode ser colocado na Au Pet Store, por R$ 150. Além das informações do dono, o chip armazena dados como a carteira de vacinação e se há pedigree.    

veja também