Dicas para fazer compras com crianças

Dicas para fazer compras com crianças

Atualizado: Segunda-feira, 12 Maio de 2008 as 12

Muitos pais acreditam que levar as crianças ao supermercado é um mau negócio para o bolso. Enquanto a mãe está distraída e o pai apanha um produto numa prateleira mais à frente, os pequenos aproveitam para fazer suas "comprinhas particulares", escorregando para dentro do carrinho tudo o que vêem pela frente.

O que os pais não sabem é que é possível transformar as compras no supermercado em um programa agradável e educativo. Segundo a coordenadora do Colégio Itatiaia, Cláudia Fernanda Venelli Razuk, com um pouco mais de tempo e organização é possível tirar proveito dessa situação e ficar mais tempo com as crianças.

Durante as compras é possível ensinar habilidades matemáticas, noções de organização e do planejamento da rotina familiar. "Em tempos de consumismo desenfreado, você pode formar desde cedo, uma mentalidade com bases sólidas na educação financeira, pois essas bases serão muito importantes quando chegar a hora de administrarem seu próprio dinheiro", afirma Cláudia.

Para ajudar os pais nessa missão, a coordenadora dá algumas dicas de organização antes e durante as compras, de acordo com a idade dos filhos. Confira:

Antes de sair de casa:

* Incentive a criança a participar da elaboração da lista de compras verificando os itens que estão faltando e suas quantidades. Nesse momento, dependendo da idade, você poderá trabalhar com a questão do "eu quero ou eu preciso", conversando sobre a importância de saber controlar os impulsos na hora das compras;

* Explique que há um limite de gastos para a compra desse dia, que não poderá ser excedido;

* Caso a criança possa comprar algo para si, combine antes a quantidade e o tipo de produto que será permitido. E faça valer esse combinado, sempre!;

* Se você tem mais de um filho e acha que seguir essas dicas pode ser mais difícil com todos juntos, você poderá deixar para levar todos juntos nas compras menores e deixar para levar um de cada vez nas maiores;

No supermercado:

* Em primeiro lugar, deixe claro que as regras combinadas anteriormente deverão ser cumpridas. Sustente com firmeza essa posição;

* Caso a criança queira comprar mais itens do que o combinado, não ceda. Mas você pode negociar trocas, como por exemplo: se ele já pegou um pacote de biscoito e está pedindo uma barra de chocolate, proponha que troque o biscoito pela barra. Você pode negociar também explicando que com o valor do produto escolhido ele poderá comprar dois produtos mais baratos e assim sucessivamente;

* Os menores podem participar do processo explorando cores, tamanhos, pesos, texturas e cheiros dos produtos que os pais vão escolhendo. É importante que o adulto facilite essa participação, sempre conversando e explicando, em linguagem simples, clara e direta, os nomes dos produtos e porque foram escolhidos;

* Já os maiores, a partir de cinco anos, podem explorar e aprender muito mais, então, incentive-os a selecionar os produtos conforme os critérios estabelecidos em casa e, desde já, aprendendo a avaliar as características que determinam a escolha, como conservação, aparência etc.;

* Os maiores de seis anos já podem começar a comparar preços.

* Ensinar sobre noções de organização no carrinho: produtos de higiene não podem ficar perto dos alimentícios; produtos gelados e perecíveis devem ser selecionados no final da compra; produtos delicados por cima dos pesados e assim por diante. Sempre explique por quê;

* Crianças já alfabetizadas podem, ainda, começar a ler os rótulos de alguns produtos, verificando datas de validade e aprendendo sobre os ingredientes mais ou menos saudáveis que compõem a fórmula e que possam influenciar na escolha do mesmo;

* A criança que ainda não está acostumada a essa rotina deve começar a participar de compras menores e mais rápidas e somente algumas das dicas acima devem ser exploradas. Aos poucos, conforme ela adquira maior interesse pelo processo, serão acrescentadas novas regras e estímulos, com participação mais efetiva.

"Dessa forma, a criança se sentirá parte importante e útil dessa tarefa da rotina da casa, com grande satisfação e sentindo-se em plena união com a família", conclui Cláudia.

veja também