Diferenças no relacionamento conjugal

Diferenças no relacionamento conjugal

Atualizado: Terça-feira, 15 Dezembro de 2009 as 12

Com muito cuidado, Paulo esclarece questões de âmbito sexual para uma sociedade bastante preconceituosa na época. Em l Coríntios 7:4, o apóstolo orienta a Igreja, abertamente, sobre deveres e responsabilidades da vida conjugal, apesar de o assunto ser bastante delicado. A verdade é declarada tão enfaticamente, que informa que: "Nenhum dos dois cônjuges exerce direito sobre o seu próprio corpo, mas, antes, o corpo de cada qual pertence ao outro cônjuge."

A preocupação de Deus nesse sentido é tão grande que Ele não permite que um negue ao outro o prazer que o próprio criador estabeleceu a cada um. Isso significa dizer que Deus ama o sexo realizado entre pessoas casadas. "O marido pague à mulher o que lhe é devido, e do mesmo modo a mulher (pague) ao marido." (I Coríntios 7:3) Negar-se ao outro seria como rejeitar uma bênção, um presente dado por Deus.

Sendo assim, nem a mulher pode negar o seu corpo ao seu marido, como o marido à esposa, pois ambos têm total direito de usá-lo para satisfazer suas necessidades sexuais.

A afirmação pode parecer grotesca para muitas mulheres, mas a verdade é exatamente essa. Isso, porém, não significa dizer que a mulher ou o homem não possa entrar em um "acordo" por uma questão de indisposição ou razão de força maior, como um propósito de santificação, como cita a própria Bíblia: "Não vos priveis um ao outro, salvo talvez por mútuo consentimento, por algum tempo, para vos dedicardes à oração e, novamente, vos ajuntardes, para que Satanás não vos tente por causa da incontinência." (l Corímtios 7:5)

Uma coisa é certa, quando a esposa nega o seu corpo ao seu companheiro, ela está cometendo uma das maiores loucuras em relação ao seu casamento, assim como o homem. É preciso entender que entre os deveres conjugais está o dever físico para com o outro.

Biologicamente já foi comprovado que o corpo da mulher é diferente do corpo do homem. Em razão disso, o marido precisa entendê-la quanto ao relacionamento sexual. Em razão da complexidade de seu corpo, a mulher às vezes não encontra ânimo para fazer amor com seu marido.

O esposo, por sua vez, precisa entendê-la e ser solidário neste aspecto. O homem jamais deve forçar sua esposa. A Palavra de Deus declara que o esposo deve viver com sua esposa com entendimento, pois ela é fraca em muitos pontos.

Na primeira carta de Pedro 3:7, pode-se encontrar essa questão documentada: "Igualmente vós, maridos, viveis com elas com entendimento, dando honra (respeito ou dignidade) à mulher, como vaso mais frágil, e como sendo elas herdeiras convosco da graça da vida, para que não sejam impedidas as vossas orações."

A abstinência sexual dos cônjuges acontece, muitas vezes, quando surgem alguns problemas que impedem um envolvimento satisfatório. A solução sempre é um diálogo aberto entre o casal e a oração a Deus.

"Vós, mulheres, submetei-vos a vossos maridos, como ao Senhor." (Efésios 5:22) "Vós, maridos, amai as vossas esposas, como também Cristo amou a igreja, e a si mesmo se entregou por ela." (Efésios 5:25) Se ela for obediente e ele a amar, o relacionamento certamente será um sucesso.

 por: Nilbe Shlishia

veja também