Educação financeira começa em casa

Educação financeira começa em casa

Atualizado: Terça-feira, 20 Outubro de 2009 as 12

Nessas últimas semanas eu perdi a conta de quantas reportagens eu li sobre inadimplência entre os jovens brasileiros. Jovens que se desequilibram, perdem as contas de quanto gastam, acabam gastando mais do que pode e  aí entram em uma fase nada boa, onde dívidas passam a assombrar suas vidas. Mas será que a culpa é só deles?

Claro, cada um faz o que quer de sua vida e tem esponsabilidade pelos seus atos. Mas o consumismo imediato, a dificuldade em adiar uma satisfação pessoal e o querer sem poder não são construídos de uma hora pra outra em suas mentes. Tudo bem que a tentação é grande e que todos nós somos seres humanos, mas o que acontece é que esses jovens que hoje são devedores não tiveram estímulo por parte principalmente da família para construírem uma vida financeira equilibrada. De acordo com o professor PhD em matemática financeira Marcos Crivelaro, as dívidas entre os jovens se referem à consumos específicos.

"Quase metade dos gastos com cartão de crédito desse público específico está relacionada com alimentação, roupas e calçados. Poucos se preocupam com a possibilidade de perder o emprego ou o estágio", ressalta Crivelaro. Segundo ele, os jovens ainda não sabem se comportar diante do dinheiro, da possibilidade de comprar. Ele ressalta, que a grande dificuldade nesse setor se refere a possibilidade de adiar uma satisfação pessoal, principalmente se o dinheiro está disponível para o consumo.

Os jovens de hoje têm facilidade de crédito como nunca antes visto e diante disso acabam se perdendo, se vislumbrando e entrando "numa fria". A verdade é que os pais deveriam orientá-los a fim de que não se endividassem , mas nem todos os pais têm a informação necessária para repassar aos filhos ou como acontece em muitos casos os próprios pais são exemplos de endividamento e desordem financeira. Educação financeira deveria começar em casa, com os pais mostrando aos seus filhos desde crianças o real valor do dinheiro para que estas não crescessem achando que podem ter tudo que querem.  Não adianta os pais acharem que assuntos como esses devem ser aprendidos na escola. Em tese deveria sim, mas infelizmente hoje são poucas as escolas no Brasil que levam educação financeira para dentro de suas salas, então os pais devem sim ter responsabilidades por tratar desse assunto com seus filhos.

A educação de berço  é tão necessária quanto a educação institucional e os pais precisam ensinar o máximo que puderem para que seus filhos não passem apertos financeiros no futuro. É  preciso criar estímulos para seus filhos, não apenas ficar dizendo que dinheiro não nasce em árvore e que é preciso poupar. Cada um deve achar sua maneira de desenvolver consciência das escolhas financeiras e suas consequências aos filhos e aí vale também investir na sua criatividade.

É preciso pensar e agir de tal maneira que as próximas gerações possam enfrentar uma realidade diferente da que estamos vivendo. Consumir com responsabilidade e educar com responsabilidade. Educação financeira é o começo de um futuro diferente para os jovens e futuros jovens.

Postado por: Felipe Pinheiro

veja também