Ele não gosta da cadeirinha

Ele não gosta da cadeirinha

Atualizado: Sexta-feira, 4 Junho de 2010 as 9:28

- Distraia-o com brinquedos

Desde pequeno, meu filho só anda de carro na cadeirinha. Sempre utilizei coisas que o distraíssem, como brinquedinhos que você coloca no encosto do banco da frente. Com o tempo, ele se acostuma e entende que é ali o lugar dele.

SARA ISMAEL ZANCHINI, 40 anos, mãe de Enzo, 2 anos e 4 meses

- Envolva-o na conversa

Como não dirijo, no começo ficava com meu filho no banco de trás. Para voltar ao da frente, dizia para ele que precisava ajudar o papai a dirigir. É só entrar no carro para a história começar: "Precisa de ajuda para arrumar o espelho?", "Vi, está vendo algo daí?". Envolvemos ele na conversa e deu certo. Agora entra no carro e diz: "Vou na minha cadeirinha para ajudar meu papai".

MARIANA LORENA, 22 anos, mãe de Vitor, 2 anos e 4 meses

- Coloque um filme

Minha filha também não gostava de andar na cadeirinha, até que descobrimos que, quando ligávamos o DVD no carro, ela ficava quietinha assistindo. A partir daí, não chorou mais. Foi assim só até ela acostumar, hoje fica quieta mesmo que o DVD esteja desligado.

JULIANA RODRIGUES KIMURA, 23 anos, mãe de Amanda, 6 meses

- Cante músicas

Pedro chorava muito na cadeirinha porque queria colo. Passei a sentar no banco de trás e a distraí-lo enquanto meu marido dirigia. Quando estávamos sozinhos, cantava músicas e conversava com ele. Aos poucos, acabou se acostumando.

SUZANA POLIDO DE MOURA LEITE CAMPOS, 25 anos, mãe de Pedro, 1 ano e 5 meses

- Deixe-o imitar você

O ideal é criar atrativos para que a criança fique na cadeirinha. Meus dois filhos só andam nela. Compramos um volante que vem com buzina e o Nícolas brinca de dirigir imitando o pai.

LUCIANA RAMIRES, 31 anos, mãe de Cristiane Vitória, 5 anos, e Nícolas Ramires, 1 ano e 11 meses

- Facilite a visão

Também passei por isso, mas a Bia melhorou quando chegou aos 9 quilos e trocamos a cadeirinha. Como ficou mais alta, consegue olhar a rua. Também tirei a película de proteção solar do vidro dela, para que possa ver o movimento.

LUIZA ROCHA, 25 anos, mãe de Beatriz, 1 anos e 1 mês

- Espere o tempo passar

Rafael também não gostava da cadeirinha, mas eu nunca deixava de colocá-lo. Sempre ficava com ele no banco de trás, o que o fazia ficar um pouco mais calmo. Quando estava com 1 ano e 7 meses, passou a ir sozinho.

ROBERTA LISBÔA, 29 anos, mãe de Rafael, 2 anos e 4 meses

o que diz a especialista

"Usar a cadeirinha não é negociável

Se você tiver de escolher entre ouvir seu filho chorar ou a segurança dele, não pense duas vezes e encare as lágrimas. Usar a cadeirinha não é negociável. Por mais que gere um desconforto inicial, deve se tornar um hábito sem espaço para exceções. Toda vez que tiver de sair de carro, coloque-o na cadeirinha, ainda que seja para ir até a padaria. Com o tempo, ele vai se acostumar. Para se manter firme nessa decisão, lembre-se de que, se houver um acidente, o dispositivo de segurança oferece até 71% de sobrevida em relação aos outros ocupantes do carro. Amenize o drama entretendo seu filho com um brinquedo, uma música ou ficando ao lado dele no banco de trás. Outra alternativa é envolver a criança no processo de uso da cadeirinha: brincar com ela quando for apertar o cinto, deixá-la experimentar modelos e, quando mais velha, até escolher a que gosta mais. Lembre-se de que, pelo Código de Trânsito Brasileiro, o uso da cadeirinha é obrigatório até os 7 anos e meio. A fiscalização começará em 2010."

Por: Simone Tinti

veja também