Em forma na hora do "sim"

Em forma na hora do "sim"

Atualizado: Quinta-feira, 5 Março de 2009 as 12

Se você aprender a comer corretamente, em muitos casos não será preciso seguir um regime. A afirmação parte dos seguidores da não-dieta, que garantem que adquirir hábitos alimentares adequados é fundamental para manter a linha sem sofrimento.

A não-dieta dá a fórmula para comer sem engordar e sem necessidade de obedecer a uma dieta restritiva. Não é fácil, mas com disciplina e esforço pode-se conseguir isso. Se aprendermos a comer, poderemos dizer adeus às dietas.

"Um dos princípios básicos da não-dieta é que devem ser feitas cinco refeições por dia: café da manhã, lanche matinal, almoço, lanche vespertino e jantar, e que não se deve beliscar fora dessas refeições", explica a nutricionista Pilar Govantes, segundo a qual a não-dieta consiste basicamente em aprender a comer.

Assim se consegue reduzir a capacidade do estômago. Por isso, com menos quantidade de alimentos já é possível ficar satisfeito. Se os alimentos ingeridos nos lanches matutino e vespertino tiverem baixas calorias, a possibilidade de emagrecimento é muito grande.

Alimentação variada e tolerante

Outra característica da não-dieta é sua variedade. Em princípio não se deve repetir nenhum alimento antes de cinco dias, para que não nos falte nenhuma vitamina ou mineral. Os únicos alimentos que Pilar desaconselha são os muito ricos em gorduras saturadas.

Na não-dieta também é muito importante repor todos os nutrientes básicos: os ácidos graxos insaturados para manter uma pele bem estruturada e hidratada, e a vitamina A, essencial na renovação da pele.

Não se pode esquecer o beta-caroteno, precursor da vitamina A, que se encontra em verduras de folha verde; a vitamina E, que atua evitando a acumulação de radicais livres; e a vitamina C, presente nas verduras frescas, que é um potente antioxidante e melhora a produção de colágeno.

Para melhorar o estado da pele, do cabelo e dos processos de renovação celular, são recomendadas as vitaminas do grupo B, como o folato e o ácido fólico, que se encontram nas verduras de folha verde.

Contribui também para isso o selênio, mineral com ação antioxidante que se relaciona com um menor risco de aparição de certos tumores, entre eles o de pele ou melanoma. Ele é encontrado em carnes não gordurosas, pescado, marisco, cereais, ovos, frutas e verduras.

Para a formação e renovação de novas proteínas, há o zinco, que também participa da luta contra os radicais livres, proporcionando tonicidade e elasticidade. O zinco e as vitaminas A, B, C e E podem ser encontrados nos produtos de temporada.

A doutora Pilar recomenda complementar sempre a não-dieta com exercícios físicos. Para os mais jovens é importante a realização de exercícios aeróbicos e, depois dos 40 anos, é preferível optar por atividades de correção postural, pilates, ioga e hidroginástica.

veja também